Contra a privatização da educação: CPERS repudia contratação do SESI pelo governo Leite para reconstrução das escolas


O CPERS, por meio de seu Conselho Geral, repudia veementemente a decisão do governo Eduardo Leite (PSDB) de avançar na privatização da educação, entregando à entidade privada Serviço Social da Indústria do Rio Grande do Sul (SESI) a responsabilidade pela reestruturação de escolas no estado, em meio à catástrofe climática.

O SESI, controlado pela cúpula industrial do país, não tem histórico nem legitimidade para desempenhar um papel tão fundamental na reconstrução e no suporte psicopedagógico das escolas públicas.

A imposição representa um ataque direto à gestão democrática das instituições de ensino, minando os direitos das comunidades, estudantes e educadoras(es).

Contestamos também a postura da secretária da educação, Raquel Teixeira, que demonstra entusiasmo ao firmar parcerias público-privadas com o SESI, destinando vultuosos recursos públicos para esta entidade patronal em detrimento de investimentos diretos nas escolas e suas comunidades escolares.

Neste momento de calamidade em que vivemos no Rio Grande do Sul, com centenas de municípios afetados e escolas destruídas, se prova, mais uma vez, a necessidade de investimentos em políticas públicas educacionais, com contratações nos quadros de professoras(es) e funcionárias(os), e o apoio às comunidades escolares.

Como educadoras(es) comprometidas(os) com a autonomia, o senso crítico e a gestão democrática, exigimos o fim imediato das parcerias público-privadas na educação e a destinação adequada de recursos para reconstrução das instituições de ensino afetadas pela catástrofe.

Além disso, é fundamental ressaltar a urgência e a importância dos concursos públicos para aprimorar a qualidade das escolas estaduais. Em vez de contratos temporários e medidas paliativas, investir em concursos públicos para a contratação de profissionais qualificados é essencial para garantir uma educação de excelência, além de promover a estabilidade e a continuidade de professoras(es) e funcionárias(os) das instituições de ensino gaúchas.

O CPERS reafirma o seu compromisso com uma educação transformadora, que promova a igualdade de oportunidades e o desenvolvimento integral das cidadãs e cidadãos. Nos posicionamos firmemente contra qualquer tentativa de privatização que ameace esses princípios fundamentais.

Foto de capa: Fabiana Erichsen / Especial / CP

Notícias relacionadas