Confira as moções de repúdio e solidariedade aprovadas no X Congresso Estadual do CPERS


Nos dias 06, 07 e 08 de agosto, cerca de 2 mil educadores(as) participam do X Congresso Estadual do CPERS, em Bento Gonçalves, para formular e debater coletivamente os rumos da resistência e orientar os próximos anos da organização sindical.

Os(as) delegados(as) aprovaram a Carta de Bento Gonçalves, documento que sintetiza os anseios da categoria e aponta os rumos para a resistência. Além disso, foram aprovadas seis moções de repúdio e solidariedade.

Confira abaixo o conteúdo de cada uma:

Moção de apoio

Exigimos a imediata liberdade de nosso companheiro Daniel Ruiz

Daniel Ruiz é um reconhecido dirigente sindical petroleiro de Chubut, Liga Internacional dos Trabalhadores (LIT-QI). Sua prisão é parte da perseguição ao companheiro Sebastián Romero, perseguido pelo governo Macri por defender os aposentados no dia 18 de dezembro.
O governo argentino persegue e prende aqueles que lutam ao lado dos trabalhadores e do povo.
Pedimos o apoio dos congressistas do X Congresso do CPERS para impulsionar a campanha de libertação do Daniel Ruiz.

Bento Gonçalves, 08 de setembro de 2019.
X Congresso Estadual do CPERS/Sindicato

 

Moção de repúdio e pedido de providências para que o Juiz Sérgio Moro seja investigado pelo STF, conforme determina a Constituição Federal.

A Constituição Federal estabelece claramente o papel do juiz, do promotor e do advogado. São totalmente distintos os seus papéis. Um julga, um acusa e o outro defende. Foi perceptível, desde as primeiras as primeiras audiências com ex-presidente Lula, a posição autoritária, desrespeitosa e sem isenção, próprias de um juiz. Esteve em vários momentos cerceando os trabalhos dos advogados de defesa do ex-presidente (grampeou de forma ilegal os celulares dos advogados de Lula). Comportou-se como acusador e não como um julgador isento. Moro atingiu frontalmente a Constituição Federal quando conduziu coercitivamente o ex-presidente Lula e quando, sem autorização do STF, decidiu grampear o telefone da presidenta Dilma.

Na divulgação dos áudios revelados pelo site The Intercept, o jornalista Glen Greenwald, juntamente com outros jornais, revistas e sites divulgaram fatos que comprovam tudo o que os advogados de defesa de Lula afirmavam: “O juiz Sérgio Moro desrespeitou em vários momentos a Constituição Federal e condenou o presidente Lula sem provas”.

Não há mais dúvidas de que Sérgio Moro, parte do MP e o Congresso corrupto do Cunha, tinham planejado o golpe que começou com o impeachment de Dilma e após a prisão sem provas do ex-presidente Lula para impedir que se elegesse presidente mais uma vez. Moro foi premiado por Bolsonaro e tornou-se Ministro da Justiça.
Queremos que os Congressistas do X Congresso do CPERS/Sindicato, por unanimidade e pela democracia, aprovem esta Moção de Repúdio e um pedido de providências para que o mesmo seja investigado pelo STF.

Bento Gonçalves, 08 de setembro de 2019.

X Congresso Estadual do CPERS/Sindicato.

 

Moção de repúdio ao governo dos Estados Unidos

Repudiamos o governo dos Estados Unidos no seu intento de implementar o imperialismo sobre nossa América Latina.

Repudiamos o acirramento do bloqueio à Venezuela e a Cuba, a tentativa de desestabilizar a Nicaraguá, a intervenção no Brasil dando sustentação ao golpe de 2016 contra as forças democráticas, permitindo a ascensão de um presidente fascista.

Queremos a América Latina livre e soberana.

Bolivar vive!

Bento Gonçalves, 08 de setembro de 2019.

X Congresso Estadual do CPERS/Sindicato.

 

Moção de Solidariedade

Nós, educadoras e educadores reunidos no X Congresso do CPERS Sindicato, queremos manifestar nosso pesar e solidariedade aos familiares, amigos e colegas da professora Fabiana Medeiros Gamba, educadora do 22º Núcleo, ex-diretora de escola, ex-coordenadora da 28ª CRE, que foi mais uma vítima do machismo, do feminicídio, da intolerância e da violência que tem permeado às relações entre as pessoas, principalmente contra as mulheres.

Juntos também manifestamos nossa dor e solidariedade a todas as mulheres vítimas do machismo e do feminicídio, que deixam suas famílias, amigos e filhos de forma tão brutal.

Seguiremos lutando por um mundo mais justo para todas e todos.
Nosso abraço fraterno aos familiares.
Por todas nós, Fabiana Presente!
Hoje e sempre!

22º Núcleo CPERS/Sindicato e mais de 1800 educadoras e educadores presentes no X Congresso Estadual do CPERS.

Bento Gonçalves, 08 de setembro de 2019.

X Congresso Estadual do CPERS/Sindicato.

 

Moção de solidariedade pela paz na Colômbia

O X Congresso do CPERS/Sindicato, com seus 1800 delegados, se solidariza com o Partido Força Alternativa Revolucionária do Comum da Colômbia, e sua heróica luta pela construção da paz com justiça social.

Responsabilizamos o governo da Colômbia pela não implementação do acordo de paz assinado pelas partes, governo e FARC-EP, há três anos, na mesa de negociação de Havana.

Responsabilizamos o governo da Colômbia pelos assassinatos de lideranças dos movimentos sociais e sindicais, que acontecem hoje, como prática de extermínio físico da posição política.

Bento Gonçalves, 08 de setembro de 2019.

X Congresso Estadual do CPERS/Sindicato.

 

Moção em Defesa da Amazônia

Em um cenário de atos no Brasil e no mundo contra o desmatamento e as queimadas na Amazônia, propomos mais uma discussão com relação à preservação do meio ambiente. É sobre o recorde preocupante que o planeta Terra atingiu, no mês de julho, do ponto máximo de o uso dos recursos naturais que poderiam ser renovados sem custos ao meio ambiente. Esta informação acende um sinal de alerta em todos nós.

Concretamente, podemos afirmar que a humanidade está em débito com o meio ambiente, gastando recursos que já não existem mais. A Amazônia, por exemplo, é o maior ecossistema com diversidade de espécies em deu território e ajuda a regular o clima por causa do estoque de carbono que acumula. Com as queimadas, o carbono é jogado na atmosfera influenciando o aquecimento global. As queimadas na Amazônia não aconteciam dessa forma há 15 anos. Desde sempre a floresta foi explorada por madeireiros e grileiros de terra, visando a extração. Essa situação só irá mudar se mudarmos também o sistema capitalista de produção, que aposta na exaustação dos recursos naturais como forma de garantir sua expansão permanente.

A defesa ao meio ambiente passa necessariamente pela defesa de um outro modelo político e econômico e de um outro modo de produção que não esgote os recursos naturais do planeta. Uma tarefa que se torna ainda mais urgente quando temos um governo liderado por pessoas que negam o conhecimento científico e insistem em propagar que o aquecimento global é uma mentira.

Segundo o geógrafo David Harvey, para se viabilizar economicamente o capitalismo necessita de um crescimento contínuo de pelo mesmo 3% ao ano, e isso só pode ocorrer com a destruição e esgotamento dos recursos naturais. Não é à toa que os Estados Unidos são os campeões em devastação ambiental.
Se toda a população do planeta consumisse nos mesmos patamares que a classe média e alta americana o planeta já estaria destruído. A luta ambiental é, portanto, uma luta anticapitalista.

Bento Gonçalves, 08 de setembro de 2019.

X Congresso Estadual do CPERS/Sindicato.

Notícias relacionadas