Cândido Godói cobra auxílio alimentação a alunos da rede pública em carta aberta à Seduc


Diante do cenário crítico de pandemia no Rio Grande do Sul e do quadro de insegurança alimentar enfrentado por milhares de famílias, a direção do Colégio Cândido José de Godói, de Porto Alegre, produziu uma carta, direcionada à Secretaria de Educação (Seduc), para cobrar auxílio alimentação aos alunos da rede pública estadual.

A proposta, elaborada a partir da realidade vivida no cotidiano das escolas, sugere a implementação do auxílio por meio de um cartão a ser criado especificamente para este fim, substituindo o atual modelo, pouco transparente e eficaz, de distribuição de cestas básicas a poucas famílias.

Diz trecho do documento:  “A alimentação escolar configura um direito do aluno e, por conseguinte, configura-se como um programa de política pública de educação. Isso posto, nestes tempos severos de pandemia, queremos garantir aos nossos alunos o direito legítimo de receber os valores que são direcionados pelo governo do Estado em forma de um auxílio alimentação.”

A carta aponta que, além de auxiliar as famílias, a medida contribuiria para a diminuição do fluxo de circulação e a consequente exposição de educadores(as), alunos(as) e pais à covid-19.

Além disso, é salientada a urgência de vacinação a toda comunidade escolar reafirmando o compromisso na luta em defesa da vida.

O CPERS tem cobrado politicas de segurança alimentar que garantam a subsistência das famílias da escola pública, altamente dependentes da merenda, desde o início da pandemia. Em breve, o Sindicato divulgará dados relacionados ao uso da verba do Programa Nacional de Alimentação Escolar, analisados pelo Dieese e pertinentes ao tema.

Confira a íntegra da carta abaixo ou clique aqui para baixar.

Carta Alimentação Escolar

Notícias relacionadas