Audiência pública debate situação do IEE Professor Pedro Schneider, em São Leopoldo


A situação do IEE Professor Pedro Schneider, interditada pelos bombeiros desde fevereiro deste ano, foi tema da audiência pública, nesta segunda-feira (28), na Câmara de Vereadores de São Leopoldo.

Fotos: Bruno Pereira

O prédio da escola, que tem quase 70 anos de história, apresenta graves problemas na rede elétrica e os banheiros estão com rachaduras nas paredes, além do teto quebrado.

Os estudantes do Ensino Fundamental foram transferidos para a EEEM Dr. Caldre Fião e os do Ensino Médio para a Unisinos, de forma gradual. Não há ajuda para custear os gastos com o  transporte, que aumentaram significativamente tanto para alunos quanto para educadores(as).

A direção da escola continua aguardando o início das obras, orçada em mais de R$ 1,5 milhão.

O diretor Cássio Ritter e diretor do 14º núcleo do CPERS, Luiz Henrique Becker, acompanham a situação desde o início e estiveram presentes na audiência, assim como os educadores(as) da instituição e a comunidade escolar.

“Nos preocupa o fato de algumas escolas terem fechado para reforma e depois encerraram as atividades. Seguiremos vigilantes e pressionando para o início imediato das obras e a garantia do transporte”, afirmou Ritter.

Ao final da audiência ficou encaminhado que na próxima segunda-feira (4), educadores(as), pais e estudantes, sairão em caminhada da frente da escola até a 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE). “A iniciativa tem o objetivo de exigir o imediato início da reforma e o transporte gratuito dos alunos até a Unisinos e o colégio Caldre Fião”, explica.

No mesmo dia, deve ocorrer audiência com a Dra. Carla Lara Adami da Silva, promotora regional de Educação.

“Foi uma grande conjunção de forças para exigirmos o início imediato das obras e a garantia do acesso dos alunos às instituições para as quais foram transferidos provisoriamente”, avalia o vice-diretor da instituição, Joel Santana da Gama.

A vereadora Ana Affonso (PT), proponente da audiência e presidenta da Comissão de Educação, fez  requerimento solicitando que seja aberta uma comissão especial para acompanhar a situação da escola e cobrar providências emergenciais.

Notícias relacionadas