Assembleia Geral Unificada dos Servidores é anunciada em coletiva de imprensa no CPERS


03/07/2015 - PORTO ALEGRE, RS, BRASIL - Seminário dos Sindicatos dos Servidores Públicos apresenta carta ao governo do estado. | Foto: Caroline Ferraz/Sul21
Foto: Caroline Ferraz/Sul21

Hoje pela manhã, a coordenação Unificada dos Servidores Públicos, a qual o CPERS integra, concedeu entrevista coletiva à imprensa sobre as ações de enfrentamento aos ataques do governo. No auditório do CPERS, representantes das categorias destacaram que os servidores “não podem pagar a conta” da crise. Na ocasião, foi anunciada a realização da Assembleia Geral Unificada dos Servidores, no Gigantinho, em Porto Alegre, a qual irá reunir todas as categorias para discutir a construção de uma greve geral no Estado.
Durante a coletiva, foi apresentado o conteúdo da Carta de Porto Alegre, assinada por 16 entidades representativas de servidores, que apresenta os caminhos apontados por técnicos tributários para combater o déficit financeiro do Rio Grande do Sul. O documento é a síntese do debate realizado no Seminário “A versão dos trabalhadores sobre a situação financeira do Estado, ocorrido no dia 19 de junho, com a participação de diversos especialistas para traçar caminhos de superação à crise econômica atual. “A Carta expõe o pensamento unânime dos servidores públicos: o de que nós não aceitamos as ações e justificativas do governo sobre a crise. É necessário que o Estado preste atenção na arrecadação de impostos, que combata a sonegação fiscal e faça a renegociação da dívida. Esse documento tem o propósito de denunciar as ações do governo contra os direitos dos trabalhadores e de sinalizar quais os caminhos para superar a crise econômica”, observou a presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer.
Ainda hoje, os servidores farão uma reunião para construir uma emenda à Lei de Diretrizes e Bases Orçamentárias – LDO. A intenção é construir uma emenda que suprima a indicação de qualquer reajuste, deixando para debater essa questão quando for apresentada a Lei Orçamentária Anual.
No próximo dia 15, às 10h, na sede da Fessergs, os servidores voltam a reunir-se para dar início a organização da Assembleia Geral Unificada e a discussão sobre a construção da greve geral.

Notícias relacionadas