Após pressão do CPERS, Leite anuncia concurso com 3 mil vagas para professores, mas exclui funcionários e especialistas


Em resposta à intensa pressão exercida pelo CPERS, o governador Eduardo Leite (PSDB) anunciou, nesta quarta-feira (10), a realização de novo concurso público para a rede estadual de educação em 2024. Segundo ele, certame contemplará 3 mil vagas a professoras e professores, com a expectativa de aplicação das provas no segundo semestre deste ano.

Contudo, mesmo com tantas denúncias, o novo concurso anunciado por Leite (PSDB) exclui vagas para funcionárias(os) de escola e especialistas. Este é um exemplo evidente da falta de abrangência e compromisso do governo com as necessidades fundamentais da educação. A celebração do concurso não pode obscurecer o fato de que há uma lacuna gritante ao considerarmos a falta destes profissionais essenciais. Um processo pedagógico, realmente comprometido, não pode prever apenas profissionais para as salas de aula, como se estas fossem os únicos espaços pedagógicos de uma escola.

Além disso, é inadmissível que, em um momento tão crucial para o ensino público gaúcho, o governo negligencie áreas fundamentais como as séries iniciais. Essa exclusão não só é injusta e denota o descompromisso com as reais necessidades da Educação, como também prejudica diretamente a qualidade da educação.

“Pressionamos o governador pela ampliação das oportunidades de emprego e pela garantia de direitos fundamentais a todos os professores e funcionários de escola. Nossa demanda incisiva é pela realização de concursos públicos para assegurar reconhecimento e oportunidades de crescimento na carreira de todos os educadores. Por isso, é absolutamente inaceitável Eduardo Leite excluir funcionários e especialistas deste processo”, asseverou a presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer.

O Sindicato exige, de forma assertiva, que o governo Leite (PSDB) assegure que o concurso seja verdadeiramente inclusivo, contemplando todas as áreas fundamentais para o efetivo funcionamento da educação no Rio Grande do Sul. A luta do CPERS se estende até garantir uma vitória completa e justa para toda a educação pública gaúcha. Basta de desmontes!

Notícias relacionadas