Ações machistas e misóginas e a vergonha do Brasil


Nos últimos dias, alguns brasileiros, que se dizem cidadãos “de bem”, protagonizaram cenas explícitas de machismo, que expuseram mulheres da Rússia, durante a Copa, à humilhação. Na gravação, que repercutiu nas redes sociais, estes homens pedem que uma mulher, que desconhece nosso idioma, repita palavras e frases com conteúdo sexual e palavrões.
Estas atitudes causam indignação e vergonha às mulheres brasileiras, e com certeza, a muitos homens também. Ao promoverem atos de machismo e misoginia com mulheres estrangeiras, pedindo para que repitam palavras e frases com conteúdo sexual e palavrões, agem de forma vil, infringem a lei, em mais diversos aspectos.
Além da questão legal, que esperamos seja levada em consideração para a penalização necessária aos agressores, no país em que estão, também cabe aqui uma reflexão sobre a razão de agirem assim. São brasileiros que pensam e atuam assim em nosso país? Suas famílias aceitam este tipo de atitude? No Brasil, a prática de vilipendiar as mulheres é considerada cotidiana e por este motivo é normal?
As mulheres lutam há anos contra a violência física, psicológica e a diferença salarial entre homens e mulheres. Com muita luta conseguiram pequenos avanços, mas ainda convivem com propagandas com apelos sexuais e a objetificação da mulher, tratados de forma natural. No Brasil, a taxa de feminicídios é a quinta maior do mundo. Por todos estes problemas que as mulheres brasileiras enfrentam, é inaceitável que fiquemos caladas perante os atos de misoginia, violência e homofobia de alguns homens brasileiros, na Rússia. Não tem desculpa para atos de tamanha violência!
Repúdio total!

Solange Carvalho
Vice Presidenta do CPERS/Sindicato
Coordenadora do Departamento de Gênero e Diversidade

Notícias relacionadas