13 de agosto terá ato unificado do funcionalismo estadual na Praça da Matriz


O CPERS recebeu, na manhã desta terça-feira (30), lideranças de entidades representativas do funcionalismo estadual para debater a construção de um ato unificado no dia 13 de agosto, data da próxima paralisação nacional da educação convocada pela CNTE e de mobilizações contra a Reforma da Previdência em todo o país.

A intenção é marcar o dia de lutas com um ato público na Praça da Matriz, denunciando o desmonte do Estado e os ataques protagonizados pelo governo Eduardo Leite aos servidores públicos. O dia 13 também é a data a partir da qual a folha de julho começa a ser quitada, representando o maior período sem pagamento desde o início dos atrasos, que já somam 44 meses.

O ato terá início às 14h, e a programação deve contar com aulas públicas e atrações artísticas. Às 16h, as centrais sindicais se somam ao ato e, às 17h30, os manifestantes saem em caminhada, passando pela esquina democrática e chegando à Faculdade de Educação da UFRGS.

“Defender a educação e a previdência social é uma pauta que nos une, pois afeta a todos(as) e dialoga com o presente e o futuro de cada trabalhador”, afirma a presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer. “Mas precisamos denunciar o projeto de destruição de direitos, dos serviços públicos e do Estado de bem estar social, que está por trás dos ataques no Rio Grande do Sul e no Brasil.”

Assim como na capital, educadores(as) de toda a rede devem cruzar os braços em protesto contra a situação de miséria e a escalada de ataques à educação pública. O CPERS disponibilizará ônibus para os núcleos que não realizarem atos em suas regiões. Fique atento às nossas redes para mais informações.

Além da direção central do CPERS, participaram da reunião representantes do Senergisul, do Sindsepe/RS, do Sindicaixa e da Ugeirm.

Notícias relacionadas