Moção de repúdio: CNTE condena ação da Brigada Militar do RS em protesto contra o tarifaço


A CNTE – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, entidade representativa de mais de 2,5 milhões de profissionais da educação pública escolar em todo país, repudia a ação policial autorizada pelo Governador Ivo Sartori contra professores/as, funcionários/as de escola e outras categorias de servidores públicos, no último dia 22, por ocasião da votação do tarifaço na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, o qual sobrecarregará toda a população gaúcha.
Nosso repúdio se estende ainda à Presidência da Assembleia Legislativa e ao comando da Brigada Militar, que não apenas desrespeitaram o legítimo direito de protesto dos/as servidores públicos, como agiram de maneira covarde, desumana e violenta contra os manifestantes que se expressavam pacificamente em área pública.
A CNTE se solidariza com o CPERS/Sindicato e com as demais categorias de servidores, em especial com as centenas de trabalhadores/as em educação feridos e emocionalmente abalados em sua dignidade. Porém, nossa categoria é aguerrida e em momentos de extrema tensão se torna mais forte e unida.
O momento exige muita mobilização para conter os ajustes que assolam a renda dos trabalhadores, a qualidade do serviço público e os direitos dos servidores. E a CNTE se mantém mobilizada com sua base para enfrentar a onda de ataques a direitos e conquistas dos/as trabalhadores/as e da sociedade em geral.

Brasília, 24 de setembro de 2015.
Diretoria Executiva da CNTE

Baixe aqui a Moção de repúdio às agressões contra professores/as, funcionários/as de escola e outros servidores públicos no Rio Grande do Sul.

 

Notícias relacionadas