De forma lúdica, educadora de Candelária destaca a importância dos povos indígenas a estudantes do 3º ano


Proporcionar vivências de forma lúdica para qualificar o aprendizado. É assim que a professora Alveni Teresinha dos Santos, da EEEF Eveline de Oliveira, em Candelária, costuma trabalhar com seus alunos(as). Nesta semana, em que se celebra a luta dos povos originários, estudantes do 3º ano, sob sua orientação, conheceram, na prática, a história e os costumes da cultura indígena.

Os hábitos, a localização em mapas das diferentes tribos, a confecção de objetos em argila, palha, penas e pedras foram algumas das atividades realizadas. Além disso, ocorreram momentos dedicados a experienciar costumes como o hábito do chimarrão, saborear o milho e a batata assada e o abraço à mãe terra.

“Todos os dias são para pensar o povo indígena. Porém, diante da data, a sensibilização e o olhar para a sua cultura, contextualizando com a forma que vivem atualmente e os problemas que enfrentam, tornou-se necessária a abordagem”, observou a educadora, que em 2021 realizou o curso Pedagogias Indígenas.

O objetivo, de acordo com a professora, foi de explorar diferentes habilidades e competências, ir além da leitura e da cópia de textos. “Além de conhecerem a cultura indígena, busquei sensibilizá-los com a realidade de hoje para que percebessem que trazemos conosco heranças desses povos. Tudo em uma linguagem própria para a faixa etária deles.”

“Estas práticas pedagógicas são possíveis porque a escola está organizada para isso. É um trabalho de equipe”, ressalta Eveline.

A experiência pode ser apreciada pelos estudantes do 1º, 2º e 4º ano ao visitarem as instalações.

Notícias relacionadas