Com prédios interditados, escola de Venâncio Aires é obrigada a retomar ensino remoto


Por questões estruturais, a EEEM Mariante, localizada no interior de Venâncio Aires – região do 18° Núcleo do CPERS (Santa Cruz do Sul) – teve um dos prédios da escola interditado no mês de junho desse ano. Após, os alunos(as) foram realocados para outro, mas nova surpresa: a extrema precariedade da instalação elétrica impediu a realização das aulas no local.

Agora, com toda a estrutura comprometida, os mais de 250 estudantes foram obrigados a retornar para o ensino remoto.

“Em um dos prédios a interdição é devido a problemas na estrutura e no outro é por causa da parte elétrica, com risco de curto-circuito ou incêndio”, explica a diretora Naira Elizabeth Rosa.

Foto: Roni Müller/Jornal Folha do Mate

Devido à situação, as aulas presenciais foram interrompidas e iniciou-se o ensino remoto. “No momento, o que conseguimos fazer é ter as aulas de forma síncrona e assíncrona na plataforma Google Sala de Aula, pelo WhatsApp, video-chamadas e também entregando material impresso, quando necessário. Mas tentaremos retornar ao presencial de forma escalonada, utilizando duas salas cedidas pelo município”, observa Naira.

Segundo a diretora, outro espaço perto da escola está sendo preparado, onde atenderão mais duas turmas: “Faremos revezamento e isso dará o total de seis turmas por dia, mas temos 15”, explica.

Para ela, a maior dificuldade, tanto para professores(as) quanto para alunos(as), é o acesso à internet, uma vez que muitos estudantes não dispõem de aparelhos e/ou de internet adequada. “Além disso, a falta do contato presencial acaba deixando muitas dúvidas para ambas as partes”, ressalta.

A Secretaria Estadual da Educação (Seduc) está ciente dos problemas da escola e informou que a reforma da rede elétrica está em fase de elaboração de projeto.

“Ainda não temos nenhuma previsão concreta. Nosso sentimento é de apreensão e incerteza sobre como será o amanhã. Estamos vivendo e vencendo um dia de cada vez”, desabafa a diretora da escola.

O CPERS seguirá acompanhando e denunciando o descaso do governo Eduardo Leite/Ranolfo Vieira Júnior (PSDB) com a educação pública gaúcha e com os professores(as) e funcionários(as) de escola. É urgente que a atual gestão providencie as reformas necessárias para garantir um ambiente de aprendizagem seguro e adequado a educadores(as) e estudantes.

Foto destaque: Leonardo Pereira/Jornal Folha do Mate

Notícias relacionadas