Reajuste do IPE Saúde: não aceitaremos a política de morte de Eduardo Leite


Atenção categoria: mais um descaso do governo Leite (PSDB) com a vida dos educadores(as) está em curso.

Não satisfeito em confiscar o salário de professores(as) e funcionários(as) de escolas, agora Eduardo Leite (PSDB) pretende novamente meter a mão no nosso bolso aumentando a contribuição para o IPE Saúde.

A intenção foi apresentada em reunião do Conselho de Administração do instituto, realizada na última quinta-feira (9). Na ocasião, o presidente Júlio César Viero Ruivo trouxe para o colegiado a proposta do executivo de elevar de 3,1% para 3,6% a contribuição ou implementar a cobrança dos dependentes.

Não aceitaremos política de morte! Há sete anos sem reajuste, educadores (as) estão escolhendo entre comer e pagar as contas. No entanto, seguem contribuindo com o IPE Saúde, buscando o direito a um plano de saúde qualificado, público e solidário.

Mas o governador Eduardo Leite (PSDB) faz questão aprofundar seu pacote de maldades: sucateia o atendimento, fecha agências e escritórios no interior do estado e ainda quer que o usuário pague mais.

Precisamos de uma política pública que ofereça serviço de qualidade para os nossos associados(as) que estão em condições de miserabilidade.

Se as péssimas gestões dos governos Sartori (MDB) e Leite (PSDB) deixaram o instituto com problemas financeiros, reivindicamos AUDITORIA DE CONTAS. Basta de retirar recursos e direitos dos servidores(as)!

Vamos nos mobilizar contra o reajuste do IPE Saúde! Está na hora do Estado se responsabilizar pelo nosso instituto e pela vida dos trabalhadores(as)!

Notícias relacionadas