Pressão do CPERS contra decreto sobre recesso escolar apresenta resultado


O governo decretou, na última terça-feira (19), que todos os servidores(as) públicos que não estivessem em férias, poderiam parar no período de festas e depois recuperar esses dias.

A direção do CPERS procurou a Secretária de Educação, Raquel Teixeira, e ponderou que não dar o recesso aos professores(as) e funcionários(as) que estão extenuados seria desumano, já que os estudantes não estarão nas escolas.

Depois dos argumentos apresentados, a Secretaria de Educação (Seduc) fez uma nota concedendo recesso aos professores(as) e, às direções das escolas, a possibilidade de dispensar os funcionários(as) mediante a compensação desses dias até 31 de maio de 2024. Orientou, também, que as escolas deverão ficar abertas ao público, em um único turno, para atender às demandas, fazendo rodízio de plantão.

>> Confira, aqui, a nota da Seduc.

Notícias relacionadas