Frente Parlamentar busca pressionar governo contra a diminuição da carga horária de Educação Física


O CPERS, representado pelas diretoras Sandra Regio e Vera Lessês, participou, nesta sexta-feira (11), junto a outras entidades e parlamentares, do ato de instalação da Frente Parlamentar em Defesa da Educação Física Escolar, na Assembleia Legislativa.

A Frente, proposta pela deputada Juliana Brizola (PDT), busca revogar a imposição do governo Eduardo Leite (PSDB), que sem diálogo com as comunidades escolares, reduziu a carga horária de Educação Física através do novo Ensino Médio.

“Eu aprendi na minha trajetória que qualquer transformação ocorre em diálogo com a comunidade escolar. Reduzir a carga horária de educação física é só uma prova do cenário desolador que nos encontramos. Queremos trazer o debate para que a sociedade fique sabendo o que o governo está fazendo com a educação. Queremos abrir uma porta de diálogo, agora institucionalizada pela Frente”, explicou a deputada Juliana, durante a abertura do evento.

Sob um verniz modernizante, o novo Ensino Médio apresenta elementos que acirram a mercantilização do ensino, fomentando uma formação deficitária e descolada da realidade social de educandos(as) e educadores(as).

O modelo imposto cria um explícito prejuízo para os estudantes das escolas públicas, acentuando desequilíbrios educacionais e abrindo espaço para a iniciativa privada na venda de pacotes pedagógicos e gerenciais para a escola pública.

A supressão dos componentes curriculares clássicos, como a redução da carga horária de Filosofia, Sociologia, Educação Física e Espanhol, entre outras disciplinas, escancara a sua real intenção: comprometer o ensino para formar mão de obra barata para o mercado de trabalho precarizado.

“É inacreditável! Países de primeiro mundo estão colocando mais espaço para a Educação Física e nosso Estado tirando. Agendamos uma audiência com a secretária de Educação, Raquel Teixeira, para revogar a situação”, expôs Everton Deiques, delegado regional da FIEP no Rio Grande do Sul.

Para a diretora do CPERS, Sandra Régio, que também é professora de Educação Física, reduzir a carga horária da disciplina é um desrespeito não apenas aos estudantes, como também aos profissionais da área, que já enfrentam condições de trabalho precárias pela política de Estado mínimo do governo Leite.

“O Sindicato está sempre comprometido com a luta dos educadores. A Frente vem como um grande instrumento para cobrarmos do governo políticas que de fato atendam os reais interesses das comunidades escolares”, afirmou.

Durante o ato, foi entregue um documento à Frente com reivindicações para revogar a medida autoritária do governo Eduardo Leite (PSDB). 

Também estavam presentes as deputadas Luciana Genro (PSOL) e Sofia Cavedon (PT).

Notícias relacionadas