Frente dos Servidores Públicos divulga manifesto em defesa do IPE Saúde


A Frente dos Servidores Públicos do Rio Grande do Sul (FSP-RS), coletivo de entidades que reúne sindicatos e associações do serviço público estadual, publicou um manifesto em defesa do IPE Saúde, nesta sexta-feira (23). A nota foi divulgada após empresários da área da saúde solicitarem ao governador Eduardo Leite (PSDB) a suspensão do novo modelo de remuneração dos hospitais credenciados ao IPE Saúde, que entrará em vigor a partir de 1º de março.

A reforma do IPE Saúde levou ao aumento das alíquotas de contribuição dos(as) servidores(as) e seus dependentes, em prestações de serviços que permanecem precarizados. Enquanto isso, empresários da área da saúde continuam recebendo sua contrapartida em dia e nos valores de mercado, mas alegam em seus discursos que o instituto lhes paga pouco e de modo atrasado.

É o servidor(a) e o segurado(a) que estão pagando com sua própria vida por conta dessa situação! Não podemos permitir! Por isso, convocamos todos(as) a participarem do Ato em Defesa do IPE Saúde, no dia 22 de março, às 9h, em frente ao Instituto.

>> Leia a nota completa:

FRENTE DOS SERVIDORES PÚBLICOS EM DEFESA DO IPE SAÚDE PÚBLICO E DE QUALIDADE!

A Frente dos Servidores Públicos do RS – coletivo que reúne sindicatos e associações do serviço público estadual – manifesta sua posição diante das notícias de que os empresários da saúde solicitaram ao governador Eduardo Leite a suspensão do novo modelo de remuneração dos hospitais credenciados ao IPE Saúde, que entrará em vigor a partir de 1º de março.

Ano passado, alertamos toda sociedade gaúcha que a proposta do governador Eduardo Leite de reforma do IPE Saúde, aumentando as alíquotas de contribuição dos servidores e seus dependentes, em um cenário de retirada de direitos e congelamento salarial, além de representar uma grande injustiça, não era a saída para resolver a crise no IPE Saúde, e que o debate sobre mudanças que o instituto carece, precisariam, no mínimo, de um debate mais aprofundado.

Passados alguns meses, com relatos de que os serviços continuam precarizados, causa enorme preocupação o discurso dos empresários da saúde que o instituto lhes paga pouco e de modo atrasado, o que, no nosso entendimento, não se sustenta, vez que esses atores estão recebendo sua contrapartida em dia no valores de mercado. Estamos pagando alíquotas mais altas em um cenário de diminuição do nosso poder aquisitivo com serviços que não vêm sendo prestados com a qualidade prometida, essa é a realidade!

São muitos os gargalos responsáveis pela crise do IPE Saúde, o maior deles, sem dúvida, é o brutal congelamento dos vencimentos imposto aos servidores. As manifestações e articulações dos empresários da saúde resultarão, como sempre, em aumento das contribuições dos servidores, continuidade na precarização dos serviços e, por fim, seguindo a cartilha neoliberal, entrega do nosso instituto para a iniciativa privada! NÃO IREMOS PERMITIR!

É o servidor e o segurado que estão pagando com sua própria vida por conta dessa situação! Assim, convidamos todos e todas a participarem no próximo dia 22 de março, quarta-feira, a partir das 9h, do grande Ato chamado pela Frente dos Servidores e pelo CPERS, na sede do IPE Saúde, em defesa dos serviços públicos e de um sistema de saúde público e sustentável para os servidores e as servidoras do RS!

Porto Alegre, 23 de fevereiro de 2024.

Foto: Caco Argemi/CPERS

Notícias relacionadas