Encontro reúne funcionários de escola de Palmeiras das Missões, Frederico Westphalen, Soledade e Carazinho


14600984_1167275476651748_6830183908477439602_n

O CPERS realizou nesta terça-feira, dia 04, o Encontro Regional dos Funcionários de Escola no 40º Núcleo – Palmeira das Missões. O evento reuniu cerca de 300 educadores dos Núcleos de Frederico Westphalen, Soledade, Carazinho e Palmeira das Missões. A atividade ocorreu no Guarita Country Clube Palmeira das Missões, das 8h30 às 16h.
Na abertura do encontro, a diretora do 40º Núcleo, Marina da Silva, a secretária geral do 26º Núcleo, Edi Mara Marcon, as representantes do 28º Núcleo, Ida Dolores Walendorff  e Rosane Beatriz G. Bettim, o diretor do 37º Núcleo, Nelson Von Grafen, o 2º vice-presidente do CPERS, Luiz Veronezi e a diretora do Departamento dos Funcionários de Escola, Sônia Solange dos Santos Viana, deram as boas-vindas ao público.
A representante da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, a professora Cândida Beatriz Rossetto, ministrou o painel “Escola sem Mordaça” referindo-se  ao Projeto de Lei 190/2015, que pretende instituir o “Escola sem Partido”, o qual proíbe os professores de falarem sobre política, ideologia e religião nas escolas. 

Encontro destaca os principais PLs que atacam a categoria
O painel “Programas de Formação Profissional dos Funcionários de Escola”, foi apresentado pela diretora Sônia. Ela informou sobre os programas de formação profissional do MEC, construídos com base nos debates da  CNTE. Sônia ainda destacou a importância dos cursos do Profuncionário (técnico, pós e médio) e o Tecnólogo em Processos Escolares (nível superior) na valorização da profissionalização dos educadores.
Também foi realizada a entrega de um documento ao diretor do Campus de Palmeira das Missões, Rafael Lazzari, solicitando a instalação do curso Tecnólogo em Processos Escolares na Universidade Federal de Santa Maria.
O 2º vice-presidente,  Luiz Veronezi e o advogado da Assessoria Jurídica do CPERS, Marcelo Fagundes, falaram sobre os  Projetos de Lei que atacam a categoria, ressaltando a PEC 241, que prevê o congelamento,  por 20 anos, dos investimentos na educação e na saúde, o PL 4.567  que significa a privatização do pré-sal, cortando os recursos que seriam investidos na educação e o PLP 257,  o qual prevê a vedação na contratação de novas operações de crédito pelos próximos três anos, proibição de nomeação de novos servidores, aumento na contribuição previdenciária por parte dos servidores, impedimento de progressão em planos de cargos e carreiras, entre outros, além de responder aos questionamentos sobre processos e ações da categoria.
Durante o encontro os educadores relaxaram com a ginástica laboral proporcionada pela professora Sandra Binello.

14495488_1099567283465925_8673348427531502350_n

 

Notícias relacionadas