Em ato estadual, educadores pressionam deputados e exigem reajuste de 14,95% para toda a categoria


Professores(as) e funcionários(as) de escola, de todo o Rio Grande do Sul, atenderam ao chamado do CPERS e realizaram uma forte mobilização em frente ao Palácio Piratini, em Porto Alegre, para exigir o reajuste de 14,95% para toda a categoria.

O dia intenso de luta iniciou com a pressão dos educadores(as) aos deputados(as), cobrando o apoio ao reajuste integral, para educadores(as) da ativa e aposentados(as) e sem abatimento na parcela de irredutibilidade.

De gabinete em gabinete, educadores(as) de diversas regiões do estado destacaram que a proposta do governo Eduardo Leite (PSDB), de 9,45% de reajuste, é inferior à Lei do MEC (14,95%) e exclui funcionários(as) de escola e aposentados(as) sem paridade.

Os parlamentares receberam um estudo do Dieese que comprova que o Executivo Estadual tem plenas condições de pagar o índice integral para toda categoria.

>> Confira o levantamento do Dieese aqui.

“Chamamos a atenção para a realidade dos funcionários de escola, que enquanto cozinham para 400, 800 alunos, ficam preocupados se terão comida para seus filhos, visto que recebem um salário base de apenas 657,97”, frisou a presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer.

No diálogo com os deputados(as), Helenir também salientou a preocupante situação dos aposentados(as). “Nosso plano de carreira era para que chegássemos à aposentadoria com dignidade. Mas o governo voltou a descontar a previdência, que pagamos durante toda vida. Isso é um escárnio”, afirmou, conclamando toda a categoria a pressionar os deputados(as) exigindo o apoio à justa luta dos educadores(as) pelo reajuste integral e para todos(as).

Durante as manifestações em frente à casa do governo, parlamentares como os deputados Jeferson Fernandes (PT), Sofia Cavedon (PT), Pepe Vargas (PT), Stela Farias (PT), Leonel Radde (PT), Adão Pretto Filho (PT), Fernanda Melchionna (PSOL) e Luciana Genro (PSOL) apoiaram a luta da categoria pelo reajuste.

A mobilização também atendeu à convocação da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), em defesa do reajuste do Piso na Carreira.

O Piso Nacional do Magistério, resultado de intensas lutas dos trabalhadores(as) da educação, ainda é descumprido em muitos estados e municípios. Não bastasse, o reajuste anual garantido aos professores(as) não se estende a todos(as) os funcionários(as) de escolas devido a medidas que ainda não foram adotadas pelo governo federal. Valorização do Piso Salarial e da carreira devem andar juntos!

A hora é agora! 

Diante da possibilidade de o projeto do governo ir à votação na Assembleia Legislativa no próximo dia 4, a presidente do Sindicato conclamou a categoria para uma grande mobilização.

“Deixem a malinha pronta, pois estaremos aqui em peso para acompanhar a votação e pressionar para que aprovem o justo reajuste de 14,95% para toda categoria. Nossa resposta à intimidação do governador de cortar o ponto será lotarmos essa praça e a Assembleia, no dia da votação. Eduardo Leite verá a força da nossa categoria triplicar”, afirmou.

 Fórum Popular em Defesa da Água é lançado em frente à Assembleia Legislativa

Em frente à Assembleia Legislativa, o CPERS e diversas entidades sindicais e movimentos sociais apoiaram o lançamento do Fórum Popular em Defesa da Água.

A atividade celebrou, simbolicamente, o Dia Mundial da Água e teve como objetivo contribuir com a luta contra a privatização do saneamento, dialogando com a comunidade sobre os riscos de uma possível desestatização da Corsan e privatização do DMAE. 

Retomar água e saneamento como direito fundamental nas suas mais variadas interfaces, em busca de soluções que representem sustentabilidade, segurança hídrica e a manutenção da vida com qualidade para todos, são os principais pontos do Fórum.

Notícias relacionadas