EEEF Nilo Carlito Koetz, de Parobé, diz #NãoàMunicipalização


Estudantes, familiares e profissionais da educação realizaram, na noite desta quarta-feira (27), uma plenária para debater a ameaça de municipalização da EEEF Nilo Carlito Koetz, localizada em Parobé.

Durante o encontro, a comunidade escolar deliberou contra a municipalização e elaborou um abaixo-assinado reforçando a contrariedade ao projeto. O documento será encaminhado à Secretaria Estadual de Educação (Seduc), à Comissão de Educação da Assembleia Legislativa e a outros órgãos públicos. A ideia é publicizar a posição da escola diante da tentativa de transferir a administração da instituição para o município. 

“Com a mobilização da comunidade escolar, a municipalização não acontece”, destacou o 1º vice-presidente do CPERS, Alex Saratt, que esteve na manifestação junto da diretora-geral do 32º Núcleo (Taquara), Simone Goldschmidt. “Cada um desses atos de resistência e de recusa ao processo de municipalização fortalece a luta como um todo. É um exemplo que ajuda outras escolas e outras comunidades a enfrentarem e a barrarem a política de municipalização”, completa.

Na ocasião, os estudantes expuseram cartazes escritos à mão com as afirmações “A escola é nossa” e “A Nilo Carlito Koetz é muito importante para nós”, demonstrando seu afeto pela instituição. O ato contou, ainda, com a presença e o apoio do vereador Dari da Silva (PT).

Na semana passada, a 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE) solicitou uma reunião com a EEEF Nilo Carlito Koetz, mas cancelou a audiência na tarde desta quarta-feira (27). Entre o período de agendamento da reunião e de seu cancelamento, a direção da escola contatou deputados(as) e vereadores(as) para informar-se sobre a municipalização, já que não houve diálogo por parte da CRE a respeito do processo.

A direção, a equipe escolar e o Conselho de Pais e Mestres optaram por manter a reunião, mesmo sem o comparecimento da CRE, e debateram sobre o tema. Na ocasião, todos os presentes votaram de forma unânime pela não municipalização.

“Vemos e sabemos do descaso da gestão municipal com a educação, e recebemos alunos do município que conseguiram aqui ter avanços significativos na sua aprendizagem”, afirmou Auriane Erthal, diretora da escola estadual.

O CPERS está ao lado da EEEF Nilo Carlito Koetz e contra o projeto político neoliberal de Eduardo Leite (PSDB), que objetiva desmontar o serviço público e enfraquecer o papel do Estado na promoção de direitos, como é o caso da educação gratuita. A municipalização não é apenas uma “transferência de mantença”, como sugere o governo estadual, trata-se principalmente do rompimento de vínculos criados nas escolas, da descontinuidade do processo pedagógico e da demissão de trabalhadores(as).

Notícias relacionadas