Da retomada indígena à desconstrução de estereótipos: Mostra Pedagógica em Gravataí evidencia a grandiosidade da escola pública


As etapas regionais da 5ª Mostra Pedagógica do Sindicato têm passado por diferentes municípios do estado, provando que a educação é um espaço de debate e articulação de temas cruciais, como o antirracismo, o feminismo, a preservação do meio ambiente e a valorização da cultura nacional. 

Nesta terça-feira (10), o 22º Núcleo do CPERS reuniu 19 projetos divididos em oito escolas da região na EEEM Ponche Verde, em Gravataí. A Mostra contou com trabalhos variados, que transitaram entre experiências sensoriais e apresentações de dança. 

A diretora do CPERS, Vera Lessês, acompanhou as exposições e elogiou a qualidade dos projetos. “Quero fazer uma saudação muito carinhosa aos estudantes que aqui estão, que são o motivo deste evento estar acontecendo na escola, e quero também saudar os professores, que orientaram esses projetos maravilhosos. Temos aqui alunos muito dedicados e promissores”, celebrou Vera.

Mostra Pedagógica do CPERS também é luta política

Ao relembrar o papel dos educadores(as) durante a pandemia, que tiveram que se reinventar para garantir um ensino qualificado aos alunos(as), a tesoureira do CPERS, Rosane Zan, comentou sobre a importância de não só denunciar as dificuldades da educação pública, mas de enaltecer o que é possível realizar a partir dela. “A Mostra Pedagógica do CPERS é uma forma de fazermos um contraponto com a sociedade e dizer que tudo aquilo que é feito na escola pública é de qualidade”, completou.

A diretora do 22º Núcleo (Gravataí), Letícia Coelho Gomes, destacou a intencionalidade do Sindicato em promover a Mostra. “Nós, além de todas as pautas importantes das professoras, dos professores e das funcionárias e funcionários, abraçamos a educação como um movimento pedagógico que deve estar sempre se construindo no chão das escolas”, explicou Letícia. 

Em crítica ao governo de Eduardo Leite (PSDB), a diretora do CPERS, Sonia Solange Viana, falou da invisibilidade enfrentada pelos funcionários(as) de escola e frisou a essencialidade do serviço prestado por esses profissionais. “Nós do CPERS e os professores que estão no chão da escola, sabemos que as instituições de ensino não sobreviveriam sem aquela pessoa que limpa, sem aquela pessoa que está na secretaria. A primeira pessoa que o pai, a mãe e o aluno tem contato quando vão à escola é o funcionário, que abre a porta com carinho e recebe a comunidade escolar.” 

Criatividade e consciência social

Um dos trabalhos apresentados foi o Aquaponia, desenvolvido por alunas da EEEM Padre Nunes. O sistema elaborado pelas estudantes se trata da produção integrada de peixes e vegetais, que permite economizar grandes quantidades de água. 

“Esse sistema é muito pouco conhecido no Brasil e aqui na região. É bom conhecer, porque algumas pessoas estão à procura de algo que garanta uma boa renda e economize dinheiro”, esclareceu Nicolly Fernandes, aluna das Séries Finais do Ensino Fundamental na escola Padre Nunes. 

“A fonte de vida dos Guarani passa pela roça e pelas sementes”, contou a professora Carmem Lúcia Soares Rodrigues, da EEIEF Kuaray Rete, localizada em Cachoeirinha. A educadora orientou o projeto “Importância das roças Guarani”, que buscou elucidar o papel da roça na retomada indígena, onde os Guarani se instalam e realizam seus plantios. 

“A Mostra do CPERS é um evento muito grandioso. Eu, enquanto professora, estou muito feliz de poder estar oportunizando aos alunos Guarani mostrar um pouco da sua cultura, do trabalho realizado na escola e trazer seu jeito e modo de ser”, mencionou Carmem. 

A estudante Diolanda Franco Palácio afirmou ter adorado a experiência de participar da 5ª Mostra Pedagógica do CPERS. “É a primeira vez que participo. E acho importante estar aqui vendo as outras escolas e tendo essa troca.” 

Autora do livro “Vozes Noturnas”, Clarrisa Monteiro, foi convidada especial do evento e buscou estimular os alunos(as). “É muito bom estar aqui, no ambiente de escola, que é meu ambiente também. Eu sou estudante que nem vocês, sei como é estar expondo trabalho”, comentou Clarissa. A jovem tem 16 anos e publicou sua primeira obra em 2021. Trata-se de um conjunto de 37 poesias. 

A mesa julgadora, que definiu quais projetos seguirão para a etapa estadual, foi composta pelas educadoras Doralice Castilhos da Rosa, Isabela Marques Barcelos Gomes, Lia Nara Ciarelli, Janete Coelho Gomes e Marzie Damin.

Também participou da atividade o tesoureiro do 22º Núcleo (Gravataí), Jussemar da Silva. 

>>> Confira as iniciativas selecionadas:

Séries Iniciais Ensino Fundamental
Projeto: Lendo Monteiro Lobato: Desconstruindo Estereótipos
Escola: EEEM Ponche Verde

Séries Finais Ensino Fundamental
Projeto: Aquaponia
Escola: EEEM Padre Nunes

Ensino Médio
Horta Escolar
Escola: EEEM Ponche Verde 

Educação Profissional
Projeto: Princesa News – Explorando Tipologias Textuais através do Jornal online
Escola: IEE Princesa Isabel 

Educação Indígena
Projeto: Importância das roças Guarani
Escola: EEIEF Kuaray Rete

Etapas Regional e Estadual

Os 42 núcleos do CPERS realizarão mostras regionais até novembro e os educadores(as) devem se inscrever com até cinco dias de antecedência ao evento na sua região. Os projetos e trabalhos mais significativos terão lugar na etapa estadual da Mostra. As experiências selecionadas também serão compiladas em uma publicação especial.

️ INFORMAÇÕES IMPORTANTES:

1) Somente sócios(as) do CPERS terão suas inscrições validadas para a Mostra Pedagógica;
2) Os anexos (como documentos, trabalhos por escrito ou em PowerPoint, fotos e vídeos) devem ser enviados para o e-mail [email protected];
3) As inscrições podem ser realizadas com até 5 (CINCO) dias de antecedência à Mostra Regional do seu núcleo. Clique aqui para conferir o cronograma das etapas regionais da Mostra;
4) Clique aqui para acessar o regulamento completo da Mostra Pedagógica;
5) Se tiver dificuldades no preenchimento do formulário ou outras dúvidas, entre em contato pelo e-mail [email protected] ou pelo fone (51) 3254.6000.

Notícias relacionadas