Crueldade da gestão Eduardo Leite (PSDB) adoece educadores: leia o depoimento da professora Chirlene Oliveira


O governo Leite retirou direitos, confiscou o salário dos aposentados e não concede a reposição da inflação. Tudo isso resulta na DIMINUIÇÃO do salário, enquanto a sobrecarga de trabalho só aumenta! O resultado? O adoecimento físico e mental dos educadores(as) gaúchos.

Chega de crueldade com os trabalhadores(as)! Queremos valorização, respeito e salário digno.

Leia o depoimento da professora Chirlene Oliveira

“Gente, já fez 3 anos, e ainda teremos mais um ano sob o domínio cruel do governo PSDB – Eduardo Leite! Quem aqui, não está atormentado e doente?

São tantas as atrocidades cometidas aos profissionais da educação que nem tenho como listá-las!
Tenho medo de verificar meu contracheque, descontos misteriosos, recebendo por 20h desde que aposentei em Julho/21. Governo das maldades com alvo certo, é arbitrário e ditatorial…

Resolvi combater o medo e abri minha folha no portal. Resultado…

Gastrite avançou tanto que fui parar no HPS, mal conseguia andar tamanha a dor no estômago! As dívidas batendo à porta e nada sobra para saldar alguma coisa! Entrei às 22h e saí às 7h da manhã ( duas doses de analgésicos e morfina na veia). Fiz tomografia e exame de sangue, o médico constatou gastrite aguda de cunho emocional. Fiquei me perguntando quando em 30 anos de profissão isso havia acontecido? Me veio a resposta: apenas durante esses três anos de inferno e de lutas contra o que está posto por nosso algoz!

Jamais voto em alguém que não me representa, e assim, no segundo turno anulei meu voto, pois pensava que tudo daria errado nas duas opções que tínhamos no segundo cenário eleitoral para 2019, e eu não me sentiria culpada por qualquer desses atos cruéis que eu sabia, aconteceriam! Mas a maioria da categoria num ranço inexplicável contra partidos que sempre nos defenderam, votaram em massa no PSDB sob o álibi de que não teria escolha!

Penso que qualquer cidadão alienado, sem noção de projeto político de governança, podia escolher tanto o MDB quanto o PSDB, mas servidor público que vive na carne as consequências, estes, jamais!!

Agora está aí a nossa colheita feita pela péssima escolha na urna!

Sinceramente, acho que essa revolta é a única coisa que aumenta cada vez mais, quisera eu trocar tudo isso pelo aumento de salário digno e valorização dos profissionais da educação!

Mas se os próprios profissionais não se valorizam na hora do voto, o jeito é correr e pedir morfina no HPS ( ao menos fui isenta de qualquer pagamento) porque se eu tivesse que pagar pelo atendimento e medicação, acho que não estaria em condições físicas o suficiente para estar desabafando aqui!

Ano que vem teremos encontro com a urna novamente…” 

Notícias relacionadas