CPERS participa da Audiência Pública Juventude Negra Viva, na Assembleia Legislativa do RS


Fotos: Lucas Pitta Klein / Assessoria Dep. Laura Sito

Na noite desta quarta-feira (30), o 2° vice-presidente do CPERS e coordenador do Coletivo Estadual de Igualdade Racial e Combate ao Racismo do Sindicato, Edson Garcia, participou de audiência da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, que tinha como tema “Juventude Negra Viva”. 

Durante o encontro, promovido pela presidente da Comissão, deputada Laura Sito (PT), e realizado no Plenarinho da ALRS, foi lançada a Frente Parlamentar em Defesa da Juventude Negra.

Enfrentar o extermínio desta parcela da população, que mais sofre com a violência policial e o racismo estrutural, por meio de uma agenda de promoção dos direitos, com políticas sociais que atuem na prevenção, na oferta de serviços e de oportunidades ao pleno desenvolvimento. Estes são alguns dos objetivos da recém lançada Frente Parlamentar. 

“Este foi um momento muito importante, com a presença de várias representações do movimento negro. Firmamos aqui o compromisso contra o extermínio e a criminalização de nossa juventude negra e periférica, movimento essencial para combatermos o racismo que vivenciamos diariamente em nosso país”, ressaltou Edson durante a atividade.

O 2° vice-presidente ainda destacou: “O CPERS segue firme na luta por uma escola antirracista, por acreditar que a escola é um local onde não há espaço para hostilidade, e sim, acolhimento e respeito a todo o tipo de diversidade. A educação é transformadora”.

A juventude negra é potência de suas comunidades e das periferias do Estado, produzindo arte, cultura, conhecimentos ou empreendendo. Quando a população negra sobrevive e tem acesso às políticas públicas, ela transforma as trajetórias de suas famílias e a realidade de suas comunidades e do país.

Para o CPERS, é urgente interrompermos este ciclo de violência. O combate ao genocídio da juventude negra é o caminho para, juntos e juntas, construirmos um mundo onde todo jovem negro(a) seja ouvido, respeitado e valorizado.

A juventude que pulsa, quer viver, sonhar e realizar os seus sonhos!

Notícias relacionadas