CPERS debate salários, previdência e saúde dos servidores aposentados em audiência pública


Na manhã de terça-feira (30), o CPERS debateu a situação de acúmulo de perdas dos aposentados e aposentadas do serviço público do RS sobre seus salários, previdência e saúde em audiência pública, promovida pela Comissão de Educação da Assembleia Legislativa.

O projeto cruel de desmonte do IPE Saúde, encabeçado pelo governo de Eduardo Leite (PSDB), desrespeita aqueles que já contribuíram durante toda uma vida e agora se veem recebendo um salário minguado, com descontos previdenciários exorbitantes e sem qualquer reajuste digno.

Edson Garcia, 2º vice-presidente do CPERS, denunciou as perdas financeiras e de saúde que os aposentados(as) enfrentam.

“Hoje, nossos aposentados sofrem com a redução salarial, uma verdadeira vergonha, considerando o tempo que dedicaram ao trabalho. Agora, são obrigados a pagar novamente pela previdência. Para piorar, ainda serão vítimas da perversidade de Eduardo Leite com o projeto de reformulação do IPE Saúde. Esse projeto apresentado pelo governo é praticamente uma sentença de morte para eles”, exclamou.

A proposta, tramada pelo governador, intensificará os descontos mensais dos trabalhadores(as) que dependem do Instituto, ameaçando o poder de compra e a subsistência de milhares de famílias, sobretudo dos trabalhadores(as) aposentados(as).

Para a deputada Sofia Cavedon (PT), presidente da Comissão e proponente da audiência, é necessária uma ampla união em defesa destes servidores(as). “Os governantes atuais não se importam com quem dedicou a vida pelo serviço público. Precisamos olhar para esse tema com mais cuidado, agir de forma sistemática para deter esse ataque ao direito a uma aposentadoria digna”, declarou.

Com o projeto de reformulação da autarquia, que deve ser votado em junho pelos deputados(as), Eduardo Leite (PSDB) deixa evidente que não tem a menor vergonha de tratar com desdém aqueles que passaram anos educando os filhos do povo gaúcho. Para ele, os aposentados(as) são meros objetos descartáveis.

Katia Terraciano Moraes, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Aposentados e Pensionistas do Estado do Rio Grande do Sul (SINAPERS), exige a união e o fortalecimento dos sindicatos que lideram as lutas em defesa dos servidores(as).

“É fundamental que todos percebam a necessidade de fortalecer seus sindicatos. É preciso estar presente em todas as convocações, pois todos os aposentados e pensionistas estão sendo cruelmente atacados pelo governo Leite. Estamos enfrentando uma verdadeira barreira contra aqueles que têm menos e são mais vulneráveis. Isso é uma sentença de exclusão do IPE Saúde”, alertou.

Vale lembrar que o novo cálculo de desconto do IPE Saúde prejudica servidores(as) e seus dependentes, especialmente aqueles com deficiência, os PCDs.

“Muitas vezes, esquecemos de toda a gama de servidores que têm algum tipo de dificuldade ou vulnerabilidade. Muitos já não têm a paridade e direitos que foram tirados com as reformas e hoje serão mais penalizados ainda com essa questão do IPE Saúde, que para nós, servidores com deficiência e familiares PCDs, é essencial”, afirma o Coordenador-Geral do Sindicato dos Oficiais de Controle Externo do Tribunal de Contas do Rio Grande do Sul (SINDTCE-RS), Reinaldo Charão.

O CPERS e a Frente dos Servidores Públicos seguem lutando bravamente para barrar essa proposta cruel do governo Leite (PSDB), percorrendo cada canto do estado para denunciar os prejuízos da reforma do IPE Saúde à população.

Continuaremos batalhando todos os dias por salário digno e que nossos valorosos aposentados(as), que dedicaram anos de suas vidas pela educação do Rio Grande do Sul, tenham segurança e dignidade. Seguimos mobilizados(as) por um IPE Saúde solidário e de qualidade.

Fotos: Celso Bender/ AL

Notícias relacionadas