Conselho Nacional de Entidades da CNTE aprova guia de como responder à consulta do MEC sobre o Novo Ensino Médio


Em reunião virtual extraordinária, realizada na manhã desta quinta-feira (18), o Conselho Nacional de Entidades da CNTE aprovou, de forma unânime, o documento “Orientações da CNTE sobre a consulta pública do Novo Ensino Médio (NEM): pela revogação da lei 13.415/2017”.

Por meio de um guia, os conselheiros recomendam aos trabalhadores(as), alunos(as) e funcionários(as) das escolas a discordarem de todas as 11 perguntas do formulário elaborado pelo MEC para conhecer a opinião dos brasileiros a respeito do Novo Ensino Médio.

O presidente da CNTE, Heleno Araújo, pediu aos representantes das entidades para fazerem uma mobilização nacional, para que toda a sociedade responda à pesquisa e pressione a Câmara dos Deputados a revogar a reforma do ensino médio.

“Até o dia 18 de maio, somente 2 mil pessoas, em todo o Brasil, haviam respondido à Consulta. Nós temos capilaridade e força para convidar a população a participar da pesquisa e alterarmos a lei. Peço o empenho de todas as entidades filiadas nesta mobilização”, recomendou Heleno Araújo, presidente da CNTE.

Durante a reunião, a secretária geral da CNTE, Fátima Aparecida da Silva, disse que, pouco a pouco, “estamos vencendo a resistência do MEC, que, inicialmente, não queria alterar o NEM”. O cronograma de implantação da reforma do ensino médio segue suspenso por 60 dias, desde o mês passado.

>> CLIQUE AQUI para acessar o documento orientativo da CNTE 
>> CLIQUE AQUI para responder à Consulta do MEC

PROJETO DE LEI 2601/2023

Outro assunto tratado no encontro virtual foi sobre o Projeto de Lei 2601/2023, que visa revogar o Novo Ensino Médio. O PL foi protocolado pelo deputado federal João Carlos Bacelar (PV-BA), na última terça-feira (16), e ainda será analisado pela CNTE.

“Estamos trabalhando perspectivas sobre esse projeto. Oficialmente, ainda não conversamos sobre o que está sendo proposto no PL”, disse o Secretário de Assuntos Internacionais, Roberto Leão.

Fonte: CNTE

Notícias relacionadas