• Home  /
  • destaque   /
  • Último Conselho Geral de 2018 define mobilizações da categoria para o próximo período

Último Conselho Geral de 2018 define mobilizações da categoria para o próximo período

No último Conselho Geral do ano, realizado nesta sexta (21), os conselheiros do CPERS deliberaram sobre as ações da categoria para o próximo ano.

A presidente do Sindicato, Helenir Aguiar Schürer, na abertura do Conselho fez um balanço sobre os quatro anos de massacre aos(as) educadores(as), protagonizado pelo governo Sartori (MDB). Também alertou sobre o próximo governo, de Eduardo Leite (PSDB), que tem o mesmo projeto de Sartori e, inclusive, já incluiu o MDB em sua base.

Outra situação destacada pela presidente do Sindicato é a necessidade de a categoria estar preparada, unida e mobilizada para os necessários enfrentamentos na Assembleia Legislativa. “Para a nova legislatura teremos uma dificuldade muito maior, pois dentro da Assembleia teremos apenas 13 votos contrários aos projetos do governo. Precisaremos de todos e todas para fazer a pressão necessária. Em tempos difíceis, temos que estar muito fortes e unidos para continuar a resistência”, observou.

A presidente também alertou aos(as) conselheiros(as) sobre a importância de todos(as) conhecerem a fundo o Plano de Carreira da categoria, visto que o governador eleito, Eduardo Leite, já acena com possíveis mudanças.

Quanto aos contratos emergenciais, Helenir relatou que a categoria poderá ser chamada a qualquer momento, provavelmente em janeiro, pois há previsão de que o projeto volte à votação na Assembleia Legislativa.

Confira as mobilizações aprovadas:

  1. Construção de campanha salarial: 26,47% emergencialmente, salário em dia, Piso Salarial Nacional e defesa dos Planos de Carreira;
  2. Realização de audiências públicas nos municípios, articuladas com as Câmaras de Vereadores, universidades, movimento sindical e movimentos sociais populares na luta contra a Reforma da Previdência;
  3. Fortalecer e aproximar o diálogo com as direções das escolas no intuito da luta em defesa da escola pública e valorização dos(as) trabalhadores(as) em educação:

-Carta aos diretores(as) e Vices diretores(as) eleitos(as) a ser entregue no dia da posse e nas escolas;

-Encontro com as direções das escolas por núcleo e/ou municípios;

-Visita das direções de núcleos nas escolas.

  1. Realização de Conselho Geral no dia 15 de fevereiro, com lançamento das campanhas de associação e valorização do CPERS, deliberação de data e local do X Congresso Estadual do CPERS/Sindicato, bem como indicação de Assembleia Geral da categoria;
  2. Construção junto a Frente Brasil Popular – FBP para organização e preparo do calendário de mobilizações do primeiro semestre, bem como da participação na III Conferência Nacional da FBP e da organização na Plenária Estadual que acontecerá em abril;
  3. Os núcleos devem fazer a pressão nas Coordenadorias Regionais de Educação – CREs para a aprovação dos Projetos de Lei – PLs de renovação dos contratos emergenciais;
  4. Participação do CPERS na construção dos movimentos que visem a unificação das lutas em defesa dos direitos dos trabalhadores(as) e garantias das liberdades democráticas.

Deixe seu comentário