• Home  /
  • destaque   /
  • Servidores estaduais da Saúde defendem SUS e protestam contra destruição do serviço público

Servidores estaduais da Saúde defendem SUS e protestam contra destruição do serviço público

Os servidores estaduais da Saúde realizaram uma manifestação em frente à Farmácia de Medicamentos especiais, no Centro de Porto Alegre, na manhã de terça-feira (17) para defender o SUS contra os ataques do governador José Ivo Sartori (PMDB). Organizado pelo SINDSEPERS, o protesto também contou com servidores da Cultura que denunciaram o desmonte na área.
Participaram do dia de luta servidores da Divisão de Abastecimento Farmacêutico, Hospital Sanatório Partenon, IPF, Hospital Psiquiátrico São Pedro, Ambulatório de Dermatologia Sanitária e Farmácia de Medicamentos Especiais.
Após o ato na Farmácia, os servidores seguiram em caminhada, com faixas, cartazes, bandeiras  e apitos chamando a atenção da população pela rua dos Andradas até a frente do  Banrisul, onde os servidores encontraram dirigentes do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre que denunciaram a privatização do banco público. Logo após, foi a vez de parar no Museu de Artes do RS (Margs), para também informar à população o descaso do governo Sartori com a cultura.
Em seguida, se uniram aos professores e professoras em greve há mais de 40 dias que trancaram as portas da Secretaria da Fazenda desde as 6h da manhã para pressionar por negociação com o governo do estado.

Dívida do Estado

No final da manhã, seguiram para a Praça da Matriz para assistir uma aula pública sobre a Renegociação da Dívida Pública do RS e o Plano de Recuperação Fiscal com a presença do presidente do CEAPE, Josué Martins.
Em entrevista realizada pela imprensa do SINDSEPERS, Josué fala sobre o histórico da dívida e como os projetos de renegociação são, na verdade, uma forma de o capital financeiro ter o controle político do Estado.
“A dívida do Rio Grande do Sul foi quitada em maio de 2013”, afirma o presidente do CEAPE-Sindicato, Josué Martins.
Confira a entrevista completa aqui.

Deixe seu comentário

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.