• Home  /
  • destaque   /
  • Sartori leiloa ações do Banrisul e acaba com o Patrimônio do Estado

Sartori leiloa ações do Banrisul e acaba com o Patrimônio do Estado

Nesta terça-feira (10), o governo Sartori (MDB) leiloou ações do Banrisul, arrecadando R$ 484,9 milhões. O pregão comercializou, entre 12h15min e 12h30min, 26 milhões de ações preferenciais com valor de R$ 18,65 por ação, 3,61% acima do valor de R$ 18,00 estabelecido pelo governo como piso. Ou seja, Sartori ofereceu R$ 18,00 por ação, abaixo dos mais de R$ 19,00 que eram negociados na segunda-feira (09).
Sartori esconde-se atrás de mentiras! Não é vendendo o patrimônio do Rio Grande do Sul e acabando com o serviço público que vai conseguir tirar o Estado da crise financeira que tanto alega para justificar suas arbitrariedades, como o atraso no pagamento dos salários dos servidores públicos.

Banrisul dá lucro para o RS
Criado, em 28 de setembro de 1928, em resposta à reivindicação dos fazendeiros, o Banco do Estado do Rio Grande do Sul – BRGS, autorizado pelo presidente do País, Washington Luís, com capital inicial de 50,0 mil contos de réis, para operar com empréstimos a longo prazo.
O Banrisul lucrou R$ 1,05 bilhão em 2017. O lucro líquido é histórico, conforme dados apresentados pelo banco em fevereiro de 2018, sendo 59,6% maior que o de 2016.
Presente em 347 municípios do estado, em 87 deles é o único banco existente e à disposição de moradores e visitantes. As 536 agências estão espalhadas no território gaúcho, além de oferecer cerca de 700 postos de atendimento.
A abrangência do Banrisul atinge 98,5% da população gaúcha, com participação de 98,9% no Produto Interno Bruto do estado, conforme o Balanço Patrimonial das Estatais.

Veja o que Sartori deixa de arrecadar:
*Desonerações: 8,90 Bilhões;
*Lei Kandir: 3,9 Bilhões;
*Perdas com ICMS com exportações: 3,6 Bilhões.
A venda do patrimônio gaúcho não é a saída!

 

 

Deixe seu comentário