• Home  /
  • destaque   /
  • REPOSIÇÃO SALARIAL JÁ! 0% É UMA OFENSA.

REPOSIÇÃO SALARIAL JÁ! 0% É UMA OFENSA.

Os professores (as) e funcionários (as) de escola do Rio Grande do Sul, estão sem reajuste desde 2014, recebem apenas 51,3% do Piso Salarial do Magistério (R$ 2.455,35). Para ganhar o que é de direito, os educadores teriam que ter um reajuste de 94,84%.
Nesses 4 anos os educadores e educadoras gaúchas receberam reajuste zero. De acordo com a inflação do período, o reajuste necessário para os salários dos educadores seria de 22,73%.
Além dos trabalhadores em educação não terem reajuste salarial, de 2014 para 2017 a folha da Secretaria Estadual de Educação (SEDUC) reduziu de 37,8% para 32,0%, ou seja, menos 6 mil educadores nas salas de aula.

Sartori massacra os educadores
O governador, José Ivo Sartori MDB (ex-PMDB) desrespeita os educadores e demais servidores estaduais com parcelamentos e atrasos de salários há 27 meses.
Corta investimentos na educação, saúde e segurança, só ano de 2017 o governo Sartori deixou de investir R$ 1,87 bilhão na educação. Em contrapartida no mesmo ano gastou 46,03 milhões em propagandas e 7 milhões com Cargos de Confiança (CCs).

Sartori é o pior governo do RS
Sartori implanta a política neoliberal, de privatizações e do Estado mínimo, jura de pés juntos que o RS não tem dinheiro, mas não faz absolutamente nada para reverter a situação, esconde-se atrás de uma suposta “crise”, criada para retirar direitos dos servidores e da população.
Só no ano de 2017 a estimativa é que o estado perdeu 7 bilhões com a sonegação de impostos, segundo a AFOCEFE. Com a Lei Kandir o estado deixou de receber 48 bilhões em valores corrigidos pela inflação do período.
No ano de 2017, a arrecadação do ICMS atingiu 31,9 bilhões, o que representa aumento de 5,09% em relação a 2016.

 Nossa luta continua!
“Precisamos unir nossas forças e lutar pelo que é nosso por direito. O nosso reajuste é necessário, lutaremos juntos pelos nossos direitos, pela valorização dos educadores e pela Educação Pública de qualidade. Exigimos REPOSIÇÃO SALARIAL JÁ!”, afirma a presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer.

 

Deixe seu comentário

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.