O QUE SARTORI NÃO DISSE

A força da GREVE dos educadores gaúchos obrigou o governo a se pronunciar. Sartori fez uma declaração em que afirmou que os menores salários dos servidores serão os primeiros a serem pagos. Logo após, o secretário da Fazenda, Giovani Feltes, disse que os salários mais baixos serão os primeiros a serem integralizados. Integralizar não é pagar em dia. Ou seja, O GOVERNO NÃO GARANTIU O FIM DO PARCELAMENTO DOS SALÁRIOS!
O que Sartori quer, na verdade, é dividir a categoria e enfraquecer a GREVE que não para de crescer em todo o Rio Grande do Sul.
Nossa miséria salarial mostra a necessidade da reposição da inflação, pois já somos submetidos a uma defasagem salarial que chega a 82,42%. Não vamos admitir que os parcelamentos continuem!
O mínimo que este governo deve fazer é cumprir com o que prevê a Constituição e PAGAR EM DIA E DE FORMA INTEGRAL o salário e o 13º de todos os servidores públicos.
Sartori quer impedir a unidade dos servidores, pois sabe que nesta sexta-feira, dia 29, o CPERS realiza uma grande Assembleia de Mobilização no Gigantinho e, logo após, haverá o encontro de milhares de servidores, através do Movimento Unificado – MUS, no Largo Glênio Peres.
Nossa força tem impedido o governo de aprovar seu pacote de maldades. Continuaremos a pressionar os deputados para que osreprovem.
O CPERS convoca a todos os educadores e educadoras a manterem-se firmes na GREVE. Este é o momento de nos fortalecermos ainda mais!

DIA 29, TODOS E TODAS NA ASSEMBLEIA DO CPERS, ÀS 8H30!
NÃO RECUAREMOS ATÉ A GARANTIA DO FIM DO PARCELAMENTO DOS SALÁRIOS!
A GREVE CONTINUA!

Comando Estadual de Greve CPERS/SINDICATO

Notícias Relacionadas

Deixe seu comentário

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.