• Home  /
  • destaque   /
  • Mobilização dos educadores impede votação do Pacote de Maldades

Mobilização dos educadores impede votação do Pacote de Maldades

lrm_export_20170425_145350_1

Mesmo abaixo de chuva, centenas de educadores realizaram vigília ao pacote de maldades do governo Sartori (PMDB) na Praça da Matriz, nesta terça-feira (25). Durante a manhã, professores e funcionários de escola visitaram os gabinetes dos deputados pressionando o voto contrário dos parlamentares às PECs que compõem o pacote de maldades. Mais uma vez, o governo não conseguiu os votos necessários para aprovação do pacote e as PECs que atingem a categoria não foram à votação.

Salário mínimo regional é aprovado com 6,48% de reajuste
À tarde, os educadores acompanharam a votação do PL 9/2017, que trata do reajuste do salário mínimo regional. Mesmo com a forte mobilização dos servidores, foi aprovado o projeto de Sartori, por 46 votos a 2, com reajuste de 6,48% para o salário mínimo regional, abaixo do INPC de 6,58% em 2016.
No final da votação, a presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer, ressaltou a importância da união e da mobilização da categoria.”Hoje tivemos mais  um dia intenso de mobilização na Assembleia Legislativa. Foi aprovado agora o reajuste do piso salarial regional, infelizmente passou a proposta rebaixada do governo. Mas consideramos uma grande vitória, pois está sendo votado agora a retirada de todos 62 dos PLCs que o governo tinha enviado para a Assembleia. Isso significa a vitória da resistência dos servidores, a luta incansável dos nossos companheiros e companheiras do CPERS que tiveram todas as terças aqui. Na próxima terça-feira, dia 02, não haverá votação, mas dia 9 com certeza estaremos aqui para acompanhar a votação e não permitir que nenhum ataque aos servidores seja votado e aprovado”, afirma Helenir.

lrm_export_20170425_145406_1

galeria-de-fotos

Notícias Relacionadas

Deixe seu comentário

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.