• Home  /
  • destaque   /
  • Educadores suspendem greve e aprovam indicativo de nova Assembleia Geral

Educadores suspendem greve e aprovam indicativo de nova Assembleia Geral


Foto: Carol Ferraz

Milhares de educadores, em Assembleia Geral do CPERS, realizada na tarde desta sexta-feira (04) decidiram suspender a greve iniciada pela categoria na última terça-feira (1º). Por 1015 a 705 votos, ou seja 60% do total, professores e funcionários de escola votaram a favor da suspensão e pela realização do Conselho Geral da entidade no dia 25 de agosto, com indicativo para nova Assembleia Geral em 1º de setembro. Na segunda-feira (07), as aulas serão retomadas.
A decisão considerou o que foi definido pelo Conselho Geral do CPERS, realizado na noite desta quinta-feira (03), onde os 42 Núcleos do sindicato no Estado apresentaram os resultados de suas assembleias regionais. Conforme os relatos, 29 Núcleos aprovaram a suspensão da greve, seis a manutenção da paralisação até o pagamento do salário integral, três não compareceram e os demais não realizaram assembleia regional.
A presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer, destacou que a suspensão da greve é fundamental para que a categoria ganhe fôlego para preparar-se para a possibilidade de uma forte greve, caso o governo confirme o encontro das folhas. “O governo já sinalizou que as folhas devem se encontrar ainda neste ano. E queremos que a categoria esteja forte para uma mobilização ainda mais intensa. Mas isso não significa que estaremos de braços cruzados, pelo contrário. A Assembleia aprovou um calendário de fortes mobilizações por todo o Estado. Não daremos um minuto de sossego ao governo”, afirmou, lembrando que já na próxima terça-feira (08), os educadores estarão novamente na Praça da Matriz, em vigília contra o pacote de maldades de Sartori. “O governo pode colocar em votação projetos de lei que atacam nossos direitos. Por isso, estaremos fazendo uma forte resistência”, ressaltou.
Confira as propostas de mobilização aprovadas:
1) Realizar aulas até o recreio e, após, aulas-cidadãs, seguindo o calendário abaixo:

§ Dia 11/08 – Participar ativamente do Movimento do “Dia do Estudante”, unificando a luta com outros segmentos e fortalecendo a defesa da escola pública;

§ Dia 17/08 – Tema: Crise do Estado. Crise para quem?

§ Dia 23/08 – Tema: Onde está sendo investido o dinheiro dos impostos?

§ Dia 28/08 – Tema: Projetos do Governo que atacam os Serviços e Servidores Públicos;

§ Dia 30/08 – Realizar barulhaço de alerta, para que o Governo cumpra a decisão judicial e pague em dia os salários dos servidores.

2) Realizar abaixo-assinado, independente da categoria, pelo fim da Criminalização dos Movimentos Sociais e contra a repressão por parte do Governo, que utiliza a polícia militar;

3) Participar da Audiência Pública contra a Criminalização dos Movimentos Sociais, com data a ser confirmada;

4) Realizar Conselho Geral, no dia 25/08/2017 (6ª feira), com indicativo de Assembleia Geral, no dia 1º/09/2017 (6ª feira), com a possibilidade de retomar a greve;

5) Continuar com as Vigílias nos dias de votação na Assembleia Legislativa do Estado do RS, respeitando a mobilização dos núcleos por região conforme já deliberado pelo Conselho Geral;

6) Realizar Plenárias Regionais, convocando os deputados da região, para debater a situação da educação pública e dos serviços públicos;

7) Possibilitar a participação de representação dos núcleos que situarem-se próximos a atividades onde estiverem presentes deputados, ministros, governadores,… que votaram a favor da retirada de direitos dos/as trabalhadores/as;

8) Manifestar posicionamento favorável a construção de uma Greve Geral de 48 horas, construída pelas Centrais Sindicais;


Fotos: Carol Ferraz

Notícias Relacionadas

Deixe seu comentário

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.