• Home  /
  • destaque   /
  • Do chão da escola para a praça: inicia a 3ª edição da Mostra Pedagógica

Do chão da escola para a praça: inicia a 3ª edição da Mostra Pedagógica

Confira todas as fotos do dia no álbum do flickr:

3ª Mostra Pedagógica – 28/11/18 – Porto Alegre

Quem passou pela Praça da Alfândega nesta quarta-feira(28) pode conferir de perto a qualidade dos trabalhos das escolas públicas estaduais. A 3ª edição da Mostra Pedagógica Estadual do CPERS trouxe para o centro da capital a exposição de 121 projetos selecionados durante as etapas regionais da iniciativa, realizada nos 42 Núcleos da entidade ao longo de três meses.

A vice-presidente do Sindicato, Solange Carvalho, deu as boas-vindas aos (as) participantes e ressaltou a importância da Mostra na conjuntura atual. “Em um momento em que somos acusados de fazer um desserviço à sociedade, concretizar uma Mostra com tantos projetos de qualidade é uma grande alegria para nós”, observou.

Logo após, a diretora e coordenadora do Departamento de Educação do Sindicato, Rosane Zan, destacou a alegria de realizar a 3ª edição da iniciativa. “É preciso acreditar no trabalho que desenvolvemos nas escolas, mostrar a dedicação de professores e estudantes da rede pública. Nós não doutrinamos ninguém, ensinamos os nossos alunos a pensar, criar e desenvolver projetos maravilhosos”, afirmou.

Dando início às atividades, o grupo vocal O Som do Coração, da escola Leopoldo Ost, do município de Santo Cristo (10º Núcleo), encantou o público com sua apresentação.

Nos estandes, o público acompanhou a explicação de estudantes e professores entusiasmados com a atividade. A supervisora do serviço de limpeza, Marisa Beatriz Pedroso Braga, 58 anos, ao passar pelo local fez questão de conversar com os participantes. “Eu não tinha ideia de que esses trabalhos eram desenvolvidos nas escolas públicas. Fiquei impressionada em ver como os alunos se expressam bem ao apresentar suas ideias. Estou encantada”, disse.

Oportunidade e troca de experiência

As professoras, Jordana Gabana Toscan e Ivana da Rosa Garcia, de Nova Prata, participam pela primeira vez da Mostra e destacaram a oportunidade de mostrar o trabalho feito na escola para além dos muros da instituição. “É muito bom podermos apresentar à população o que desenvolvemos com nossos alunos com muito empenho e dedicação”, ressaltaram.

“Está sendo incrível. Estamos convivendo com outros estudantes e professores, mostrando o que produzimos, conhecendo os outros trabalhos e trocando experiências”, destacaram os estudantes de Bagé, Moisés Junior (14) e Emilly Mendonça (13).

A comunidade indígena esteve, pela primeira vez, presente na Mostra. As professoras, Edna Agliardi e Ana Coleone falaram sobre o orgulho em mostrar o trabalho realizado. “É muito gratificante estar aqui. É surpreendente ver o interesse da população em conhecer mais sobre a cultura indígena”, observaram.

Educação e censura em debate

Além da exposição dos trabalhos, o primeiro dia da Mostra contou também com palestras. A professora doutora Margareth Fadanelli Simionato, do IPA, falou sobre as Experiências Pedagógicas no Contexto da Escola Pública. “Aqui, na Mostra, está um pouco do exemplo do que sabemos fazer. Com todos os nãos que levamos, fico perplexa diante de tantos projetos maravilhosos. É fundamental continuarmos a luta para garantir uma escola pública e de qualidade para todos”, destacou.

Outro tema abordado durante a tarde foi Educação Democrática: ameaças de censura, apresentado pela professora doutora Russel Teresinha Dutra da Rosa, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS. “Mesmo sendo evidente a inconstitucionalidade de projetos como escola sem partido, vivenciamos a censura a práticas de educadores e a livre manifestação de estudantes. Uma tentativa incessante de cerceamento. Não podemos nos calar. Diante de ameaças, é preciso denunciar”, observou.

A Mostra continua nesta quinta

A Mostra segue amanhã, a partir das 9h, quando a Comissão Julgadora irá definir quais serão os trabalhos mais significativos desta edição. Os vencedores de cada modalidade (Anos Iniciais e Finais do Ensino Fundamental, Ensino Médio, Técnico Profissionalizante, EJA e Educação Indígena), terão a oportunidade de apresentar seus projetos no Encontro do Movimento Pedagógico Latino Americano, em 2019, na Argentina.

  

 

 

Deixe seu comentário