• Home  /
  • destaque   /
  • Conselho Geral do CPERS aprova propostas de mobilização que serão votadas na Assembleia Geral da categoria, nesta sexta

Conselho Geral do CPERS aprova propostas de mobilização que serão votadas na Assembleia Geral da categoria, nesta sexta

Os conselheiros e as conselheiras do CPERS reuniram-se na noite desta quinta-feira (21), na sede da entidade, para deliberar sobre as propostas de mobilização da categoria. As propostas aprovadas serão levadas para votação na Assembleia Geral da categoria, que ocorre amanhã, a partir das 13h30, no Gigantinho, em Porto Alegre.
No início do Conselho foram empossados os representantes estaduais dos aposentados e os conselheiros 1/1000 eleitos para a gestão 2017/2020. Na ocasião, também foi eleito o Conselho Fiscal do Sindicato.
Logo após a posse, ocorreu o debate organizado pelo Departamento de Formação do Sindicato, que tem como responsável a diretora Valdete Moreira. O tema abordado foi a plataforma operária camponesa da água e da energia. A abordagem foi realizada por Fernando Fernandes, que é engenheiro agrônomo, especialista em energia pela UFRJ, membro da Coordenação Estadual dos Atingidos por Barragens – MAB e formador nacional da plataforma operária e camponesa da água e energia. Esta articulação aglutina todas as entidades da classe trabalhadora que tem intuito de defender as riquezas hídricas e energéticas do país. “Nosso objetivo é fazer com que toda a população brasileira conheça suas riquezas naturais e energéticas. Precisamos lutar por soberania, contra as privatizações, seja do petróleo, energia elétrica, gás, água ou educação. Reaver tudo o que foi privatizado e adotar uma política energética a serviço do povo. Devemos lutar para que toda a riqueza produzida com o petróleo, principalmente com o pré-sal, e nas usinas hidrelétricas sejam destinadas para educação, saúde, direitos e geração de emprego para o povo”, destacou.
Ao final do Conselho, a presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer, ressaltou a importância da Caravana que o Sindicato colocará na estrada nos próximos dias. “Percorreremos todo o Estado para conscientizar a categoria quanto à importância das eleições que se aproximam. Independente de quem estiver à frente do governo, vamos fazer a luta em defesa dos nossos direitos. Vamos discutir projeto de Estado. Não vamos dizer em quem votar, mas diremos claramente em quem não votar ara que o projeto de Sartori não tenha continuidade”, afirmou.

Confira abaixo as propostas de mobilização aprovadas pelo Conselho Geral para apreciação dos educadores na Assembleia Geral desta sexta-feira (22):

1. Aprovação da Pauta de Reivindicações da categoria dos(as) Trabalhadores(as) em Educação com a definição de 3 eixos centrais de campanha para embate com o governo: Desmonte do Estado, Luta Salarial e Condições de Trabalho;
2. Aprovação do calendário da Caravana “Em Defesa da Escola Pública – Contra o Desmonte do Estado”, que ocorrerá no período posterior à Assembleia Geral;
3. Continuidade da denúncia contra o Governo Sartori pelo fechamento e/ou transferência de escola, que sucateia a Educação Pública;
4. Aula Cidadã com a temática da Soberania Nacional, tendo como subsídio o panfleto da Frente Brasil Popular “Combustíveis, Gás de Cozinha e Luz Elétrica – Por que Pagamos Tanto?”;
5. Caminhada após o término da Assembleia Geral do Ginásio Gigantinho até o Palácio Piratini;
6. Participar do Ato das Mulheres, dia 22/06, na Esquina Democrática, após a entrega da pauta de reivindicações no Palácio Piratini;
7. Encaminhar os eixos prioritários da categoria para os candidatos ao governo do Estado para se posicionarem por escrito;
8. Participar com a representação de duas dirigentes da Entidade na Mobilização pela decisão do Senado Argentino pelo aborto legal, seguro e gratuito;
9. Campanha com “outdoor” e mídias para denunciar Sartori, sua base e o projeto que representam com exceção da mídia golpista que dá sustentação ao governo Sartori;
10. Exigir a anistia da greve de 2017, visto que no portal do servidor segue greve com desconto suspenso;
11. Moção contra a truculência da Polícia Militar do governo Welligton Dias (PT) do Piauí contra os servidores públicos estaduais;
12. Moção de repúdio à política do Governo Trump, presidente dos Estados Unidos, para imigrantes com o enjaulamento das crianças;
13. Moção de Repúdio ao Deputado Federal Alceu Moreira (MDB) pela declaração do uso de recurso de emenda parlamentar da saúde na construção de uma sede para a associação dos caminhoneiros.

VEJA A GALERIA DE FOTOS DA POSSE DOS CONSELHEIROS

Deixe seu comentário