• Home  /
  • destaque   /
  • Caravana mobiliza educadores(as) e estudantes de Santa Cruz e região

Caravana mobiliza educadores(as) e estudantes de Santa Cruz e região

Confira a galeria de fotos do dia: 18º Núcleo Caravana CPERS – 17/09/18 – Santa Cruz do Sul

Dando início à 10ª na estrada, a Caravana em Defesa da Escola Pública chegou, nesta segunda-feira, a Santa Cruz e região. Centenas de educadores(as) e estudantes em 40 escolas de quatro municípios do 18º Núcleo tiveram a oportunidade de dialogar com integrantes da direção estadual e do núcleo ao longo do dia.

Desde julho, já são mais de mil escolas visitadas, 60 dias e 15 mil quilômetros de estrada para discutir os rumos da educação pública e os ataques à categoria, além de provocar a base para refletir sobre a importância do voto consciente e bem informado. Trata-se de identificar os projetos em disputa no período eleitoral e compreender o significado da continuidade das políticas de desmonte, representadas pela ideologia do Estado mínimo.

“O governo diz que o estado está quebrado. Mas quem está pagando pela crise somos nós. Enquanto isso, fornecedores recebem em dia e gasta-se cada vez mais com publicidade. É uma questão de prioridades, e a prioridade dessa gestão não é educação”, afirmou Candida Rossetto, secretária-geral do CPERS. “Não existe justificativa para não recebermos o salário em dia. Usam o nosso drama para justificar a venda de estatais e o regime de ajuste fiscal. Esse filme já vimos”,concluiu.

A ideia não é indicar à categoria em quem votar, mas deixar claro quais candidatos representam o campo da continuidade da redução do Estado e do massacre à categoria. Déboraa Volget, professora de História do CE Monte Alverne, saúda a iniciativa. “Estamos tão concentrados em trabalhar que não temos tempo de refletir sobre o que está acontecendo e compreender o contexto maior. É isso que o governo quer, que aceitemos todos os ataques sem reclamar”, disse.

Em todas as escolas os(as) educadores(as) recebem materiais informativos que permitem comparar a atuação de parlamentares em relação a projetos como a Reforma Trabalhista no país e o desmonte do serviço público no estado. O CPERS também lançou um site para facilitar a consulta sobre como votaram as bancadas gaúchas, junto à campanha Vote em Defesa da Escola Pública. No dia 31 de agosto, os candidatos a governador participaram de uma sabatina onde apresentaram suas propostas para a educação. Confira a íntegra de cada resposta.

Em diversas escolas do núcleo o debate foi ampliado para estudantes, abarcando temas como a Base Nacional Comum Curricular e a Reforma do Ensino Médio, que devem ser implementadas já a partir de 2019 em formato piloto na rede estadual. O CPERS entende que os projetos em andamento têm o objetivo de abrir caminho para a privatização da rede pública e a formação de mão de obra barata, fechando a porta das universidades para os estudantes e levando à demissão em massa de educadores(as).

“Com 40% das aulas à distância, currículo obrigatório reduzido e cada vez menos recursos para as escolas, vocês acham que terão condições de concorrer com alunos da rede privada?”, questionou a diretora-geral do Núcleo, Cira Kaufmann. “A saída é a revogação já, e manifestar isso na urna não elegendo partidos e candidatos que apoiaram essas reformas. Estamos ao lado de vocês nessa luta.”


Sandi Xavier Mancilia, da coordenação estadual da juventude do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), acompanhou as visitações e também se dirigiu a estudantes. “Quantos aqui não tem computador ou internet em casa para fazer aulas à distância? E em escolas da periferia, em regiões mais pobres? Somos seres que vivem coletivamente. Não podemos nos deixar levar pela individualidade enquanto outros são afetados, pois é a sociedade como um todo que sofrerá com o sucateamento da escola”, refletiu.

A Caravana em Defesa da Escola Pública segue na estrada até o início de outubro. Nesta terça-feira (18), o destino é Estrela e, na quarta, o 39º Núcleo de Porto Alegre. Confira o itinerário completo.

Deixe seu comentário