• Home  /
  • destaque   /
  • Caravana em Defesa da Escola Pública inicia semana em Rio Grande

Caravana em Defesa da Escola Pública inicia semana em Rio Grande

A Caravana em Defesa da Escola Pública chegou a Rio Grande nesta segunda-feira (13), dando início à 5º semana da jornada de debates com a categoria em todos os 42 núcleos do CPERS. Além da cidade sede do 6º Núcleo, a comitiva passou por São José do Norte, Santa Vitória do Palmar e Chuí. Ao todo, foram visitadas 37 escolas para ouvir a base, discutir a conjuntura política e a importância do voto para mudar o cenário de desvalorização e ataque à escola pública.

Em Rio Grande, todas as escolas receberam a comitiva composta por membros da Direção Central, diretores(as) de outros núcleos e associados(as) do Sindicato que se somaram à Caravana. Centenas de educadores(as) tiveram a oportunidade de expor seus anseios e debater o momento crítico para a categoria.

“O dia foi muito produtivo e, as escolas, muito receptivas”, avalia Ana Paula Carlosso, vice-diretora do 6º Núcleo, para quem o trabalho articulado entre as instâncias estadual e local fortalece o Sindicato. “A participação mais direta da Direção Central qualifica o trabalho e aproxima o CPERS da base”, explica.

Do Sindicato ao chão da escola, a caravana combate o desânimo da categoria, massacrada por 32 meses de salários parcelados e ataques incessantes à educação pública, e alerta para a única saída possível: barrar nas urnas a continuidade do atual projeto político, representado por diversos candidatos no RIo Grande do Sul e no Brasil.


“Ninguém suporta mais quatro do mesmo projeto, de precarização, parcelamentos e achatamento salarial”, afirma Vera Lessês, diretora do CPERS. Para Jankiel Pires, 39 anos, professor de Física em Rio Grande, o momento é difícil mas deve servir de motivação para a luta: “querem acabar com os educadores. Se a gente esmorece, será ainda pior. Precisamos nos aglutinar e somar forças como nunca”.

Para a presidente Helenir Aguiar Schürer, a eleição de partidos que representam projetos não alinhados com o Estado mínimo pode reverter o quadro. Ela cita o Ensino Politécnico, proposta do governo anterior que deixou de existir com a mudança no Executivo. “Vivemos em um país que não tem políticas de Estado, mas de governo. Se um governo cai, suas políticas caem juntos. Mas eles são tão espertos que têm mais de um candidato representando o mesmo projeto, por isso precisamos pesquisar muito bem antes de votar”, lembrou.

A Caravana em Defesa da Escola Pública continua o itinerário da semana nesta terça-feira (14) em Pelotas, quarta (15) em Bagé e quinta (16) em Camaquã.

Confira aqui o itinerário completo




Confira a galeria de fotos:

6º Núcleo Caravana CPERS – 13/08/18 – Rio Grande

 

Deixe seu comentário