• Home  /
  • destaque   /
  • Ato Unificado denuncia ataques de Sartori ao IPE e lembra um ano da extinção das fundações

Ato Unificado denuncia ataques de Sartori ao IPE e lembra um ano da extinção das fundações

Na manhã desta quarta-feira (20) centenas de professores, funcionários de escola e demais servidores que compõem o Movimento Unificado dos Servidores Estaduais (MUS) realizaram o Ato Unificado em defesa do IPE e pelo pagamento integral do 13º salário. A concentração iniciou às 9h em frente à sede do Instituto. Representantes de diversas entidades denunciaram os ataques de Sartori e seus aliados ao IPE, os projetos que seguem em tramitação na Assembleia Legislativa são mais um ataque ferrenho de Sartori aos direitos dos servidores.
Representantes do MUS entregaram para o diretor administrativo financeiro do IPE, Nilton Donato, o documento que pede a publicação da Resolução 06/2017 do Conselho Deliberativo do IPE, que trata da suspensão de qualquer alienação dos bens imóveis do Fundo de Assistência à Saúde do IPE, bem como cientificar à central de licitações para suspender qualquer processo licitatório em tramitação. A presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer, reforçou que os servidores querem a publicação da resolução no Diário Oficial. “Nosso pedido é simples, publiquem a resolução no Diário Oficial. E vamos continuar de olho para ver se será feito”, afirmou Helenir.
Donato destacou que o pedido seria encaminhado para o presidente do IPE, Otomar Vivian, e comunicará os servidores sobre os encaminhamentos.

VEJA AQUI O DOCUMENTO ENTREGUE 

Servidores relembram cenário de guerra na Praça da Matriz há um ano
Logo após o ato, os servidores saíram em caminhada até a Praça da Matriz. Durante o trajeto, a população foi alertada de todos os ataques de Sartori aos servidores e aos serviços públicos essenciais para a população como saúde, educação e segurança.
O Sindicato dos Empregados em Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas e de Fundações Estaduais do Rio Grande do Sul  (SEMAPI) relembrou um ano da extinção das fundações, aprovada na Assembleia Legislativa em meio aos ataques da Brigada Militar, um verdadeiro cenário de guerra contra os servidores, durante as votações dos projetos.
Mesmo com a aprovação, algumas fundações continuam na ativa, através de liminares na justiça, como é o caso da TVE e da FM Cultura. “O ataque a qualquer servidor é o ataque todos nós. A nossa unidade fez o enfrentamento durante a extinção das fundações, que hoje completa um ano. Estamos aqui novamente para impedir o desmonte do serviço público. Mas só isso não basta. É preciso denunciar os partidos que estão ajudando Sartori a afundar este Estado. Ano que vem é ano de eleição, vamos denunciar todos que votarem contra os nossos direitos e de todo o povo gaúcho”, afirmou Helenir.
No final do ato, os servidores realizaram o ato simbólico Não Esqueceremos e denunciaram um a um os deputados e deputadas que votaram contra o povo gaúcho. Ao final da ação, foram soltos balões pretos simbolizando o repúdio do funcionalismo as arbitrariedades de Sartori e sua base aliada.

 

Deixe seu comentário

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.