• Home  /
  • destaque   /
  • Ato na escola Ernesto Dornelles repudia a Lei da Mordaça

Ato na escola Ernesto Dornelles repudia a Lei da Mordaça

Logo após o ato em frente a Seduc, em repúdio a falta de professores e funcionários de escola, na manhã desta sexta-feira (04), os educadores seguiram em caminhada até a escola Ernesto Dornelles. No local, uniram-se aos professores e estudantes da instituição para afirmar que não aceitarão a Lei da Mordaça. A diretora da escola, Isabel Lopes, foi chamada na Seduc para explicar a razão de ter colocado em frente à instituição, uma faixa contra a reforma da previdência, após denúncia do deputado Marcel van Hattem.
“Quando chamada a dar explicações, afirmei que a faixa é um protesto de toda a comunidade escolar, não apenas da escola. Estamos exercendo nosso direito democrático de nos manifestarmos e não vamos aceitar a mordaça. Não vão nos calar. O deputado que fez a denúncia jamais entrou em nossa escola para ver quais as nossas necessidades, tão pouco defende o nosso salário pago em dia e de forma integral. Portanto, ele não vai nos calar”, afirmou Isabel.
A presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer, ressaltou que o Sindicato e toda a categoria é solidário à escola. “Não podemos admitir esse tipo de ataque. O governo já nos submete a salários e 13º parcelados, escolas precárias e não paga o nosso Piso. Agora, quer que fiquemos calados diante dos ataques do governo ilegítimo de Temer, seu parceiro de partido e de arbitrariedades. Não vamos permitir”, destacou.
O CPERS entregou à escola uma faixa com os dizeres “Não deixe que eles roubem seus direitos”, com a imagem de Sartori e Temer. A faixa foi colocada em frente à instituição, junto a colocada pela escola contra a reforma da Previdência.
Após o ato, os educadores seguiram em caminhada até o Palácio Piratini, onde realizaram uma manifestação para dizer em alto e bom tom ao governo Sartori e seus aliados: Na permitiremos nenhum direito a menos. “Preparem-se, o CPERS está nas ruas e delas não sairá até que os direitos dos educadores e estudantes sejam respeitados”, afirmou Helenir.


Fotos: Carol Ferraz

 

Notícias Relacionadas

Deixe seu comentário

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.