• Home  /
  • cultura   /
  • Aliança Francesa promove debate sobre cinema no contexto de maio de 1968

Aliança Francesa promove debate sobre cinema no contexto de maio de 1968

A próxima edição do Débats d’idées, promovido pela Aliança Francesa de Porto Alegre, será sobre o trabalho do Grupo Zanzibar, movimento de jovens cineastas franceses atuantes no final dos anos 1960 e início dos anos 1970. O bate-papo aborda a produção do grupo e a relação entre arte e política no contexto de maio de 1968, e conta com a participação do artista inglês Michael Chapman, um dos atores do grupo, e do diretor e curador Renato Coelho. A mediação será feita pelo jornalista Roger Lerina.
O evento tem entrada franca e acontece no sábado, 12 de maioa partir das 19h30na Cinemateca Capitólio Petrobras (Demétrio Ribeiro, 1085). Antes da conversa, será feita a exibição do filme Acéphale (Acéfalo, 1968), de Patrick Deval.
Realizados de maneira praticamente clandestina e raros até os dias de hoje, os filmes do Grupo Zanzibar refletem, de alguma maneira, o espírito dos tempos de maio de 1968, quando a França viveu uma grande onda de protestos contra o governo, que culminaram numa greve geral. Na época, muitos dos filmes eram exibidos na calada da noite, por Henri Langlois, na Cinemateca Francesa.

Sobre o Grupo Zanzibar:

O Grupo Zanzibar foi um movimento de jovens cineastas franceses, atuantes no final dos anos 1960 e início dos anos 1970. Essa geração de realizadores, também conhecida como Zanzibar Films, tinha a intenção sincera de mudar o cinema francês e estabeleceu a ponte entre a Nouvelle Vague e o cinema underground norte-americano, refletindo um extraordinário momento dentro da história e do cinema de vanguarda. Fizeram parte desse movimento relevantes nomes do cinema francês, como Philippe Garrel, Jack Raynal e Patrick Deval (fundador, com Serge Daney, da revista Visage du Cinéma), entre outros.

Sobre Michael Chapman:

O britânico Michael Chapman é ex-integrante do grupo de vanguarda artística Exploding Galaxy (1967 – 1969), liderado pelo artista filipino David Medalla. Integrou o grupo Zanzibar Films, em Paris, no ano de 1968. Chapman fundou a Revista L´Idiot Internacional, em Paris, junto com Sylvina Boissonas, Jean Edern Hallier, Simone de Beauvoir e Jean-Paul Sartre. Obteve seu título de mestre em Artes Visuais na Universität der Künste, em Berlin (Alemanha), e fez doutorado em Engenharia de Produção na área de Mídia e Conhecimento pela UFSC. É pós-doutor pelo Instituto de Artes Visuais da UFRGS e, atualmente, é professor titular da Universidade Federal de Rio Grande.

Sobre Renato Coelho:

Renato Coelho é realizador, professor e pesquisador, doutorando e mestre em Multimeios pela Unicamp. Realizou curtas-metragens como O cinema segundo Luiz Rô (2013), Trem (2015) e A propósito de Willer (2016, em parceria com Priscyla Bettim). Curador de mostras de cinema, como Jairo Ferreira: Cinema de Invenção (no Centro Cultural Banco do Brasil, em 2012) e Os filmes Zanzibar: Dândis de Maio de 68 (na Caixa Cultural, em 2013). Publicou o livro O cinema e a crítica de Jairo Ferreira (Alameda, 2015) e organizou Luiz Rosemberg Filho – Encontros (Azougue, 2015).

Sobre Débats d’idées:

Com essa iniciativa, a Aliança Francesa de Porto Alegre busca promover encontros com pensadores, jornalistas e intelectuais sobre questões como fronteira, geopolítica, imigração, cultura e meio ambiente, entre outros temas contemporâneos.
O Débats d’Idées é realizado pela Aliança Francesa de Porto Alegre e pelo Ministério da Cultura (MinC) por meio da Lei de Incentivo à Cultura (Rouanet), com patrocínio da Timac Agro e apoio da Prefeitura Municipal de Porto Alegre.

Deixe seu comentário